Notícias

Banca de DEFESA: BRUNO DA SILVA GOMES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BRUNO DA SILVA GOMES
DATA: 21/03/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do NPPM
TÍTULO:

POTENCIAL ANTI-INFLAMATÓRIO DO MIRTENOL EM MODELOS ANIMAIS.


PALAVRAS-CHAVES:

Mirtenol; monoterpeno; atividade anti-inflamatória


PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
SUBÁREA: Farmacologia Geral
RESUMO:

Os medicamentos provenientes de plantas constituem uma via potencialmente importante que conduz a novos agentes terapêuticos para doenças inflamatórias agudas e crônicas. Muitos óleos essenciais possuem propriedades farmacológicas tais como analgésica, espasmolítica e anti-inflamatória. O mirtenol é um monoterpeno presente na composição química de óleos essenciais de várias espécies aromáticas utilizadas na medicina popular como agentes anti-inflamatórios. Este trabalho teve como objetivo investigar a atividade anti-inflamatória aguda e seus principais mecanismos de ação, a atividade anti-inflamatória crônica e potencial antioxidante do mirtenol em modelos animais. Foram utilizados camundongos Swiss (18-25 g) e ratos Wistar (150-200 g), machos e fêmeas. A DL50 (v.o.) do mirtenol consta na literatura como sendo de 2457mg (em machos), 632mg (em fêmeas). A avaliação da atividade anti-inflamatória do mirtenol foi investigada em modelos de indução de edema de pata por carragenina (1%; 0,1 mL), seguido pela elucidação dos mecanismos de ação através da contagem total e diferencial, níveis de MPO e interleucinas (TNF-α, IL-1β e IL-6) em modelo de peritonite induzida por carragenina, quimiotaxia in vitro e medição em tempo real de rolamento e adesão leucocitária por microscopia intravital. A avaliação da atividade anti-inflamatória crônica do mirtenol foi realizada através do modelo de monoartrite crônica induzida por ACF, seguida da avaliação do potencial antioxidante. No edema de pata induzido por carragenina o mirtenol (25 mg/kg) inibiu (**p<0,01) o edema elicitado por carragenina (1%) até a 5ª hora e a dose de 50 mg/kg inibiu o edema na 2ª hora. O mirtenol (12,5, 25, 50 mg/kg) diminuiu o número de leucócitos total e diferencial no lavado peritoneal. A dose de 25 mg/kg do mirtenol diminuiu os níveis de MPO, mas não os níveis de TNF-α, IL-1β e IL-6. A incubação dos neutrófilos com mirtenol (30 e 100 ng/mL) inibiu significativamente a quimioatração induzida por fMLP. O mirtenol (25 mg/kg, v.o.) produziu a redução do número de rolamento, bem como de leucócitos aderentes. No modelo de monoartrite induzida por ACF, o mirtenol (25 e 50 mg/kg) apresentou redução significativa do edema intra-articular até o 15º dia e além disso, o mirtenol (25 mg/kg) mostrou significativa diminuição no TEP nos 15 dias de observação frente a incapacitação articular induzida por ACF. O mirtenol demonstrou ainda significativo potencial antioxidante ao reduzir os níveis de TBARS e NO e aumentar os níveis de SOD. Os dados obtidos sugerem que a ação do mirtenol ocorre pela inibição da migração de células e diminuição do estresse oxidativo. Mais estudos devem ser realizados na tentativa de melhor  esclarecer os mecanismos de ação deste monoterpeno no processo inflamatório.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1167629 - FERNANDA REGINA DE CASTRO ALMEIDA
Presidente - 2246074 - FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA
Externo à Instituição - ROBERTO CÉSAR PEREIRA LIMA JÚNIOR - UFC
Notícia cadastrada em: 27/02/2014 12:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 24/02/2021 17:44