Notícias

Banca de DEFESA: LUCAS ANTONIO DUARTE NICOLAU

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCAS ANTONIO DUARTE NICOLAU
DATA: 19/12/2014
HORA: 09:00
LOCAL: NPPM
TÍTULO:

EFEITO PROTETOR DO CLORIDRATO DE

EPIISOPILOTURINA, UM ALCALÓIDE IMIDAZÓLICO ISOLADO DE Pilocarpus

microphyllus (Stapf ex Wardleworth), NA LESÃO GASTRINTESTINAL INDUZIDA

POR NAPROXENO EM RATOS.


PALAVRAS-CHAVES:

 

Atividade Protetora; Naproxeno; Lesão Gastrintestinal; Cloridrato de

Epiisopiloturina; Pilocarpus microphyllus.


PÁGINAS: 83
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

Naproxeno, um representante da família dos AINEs é frequentemente recomendado

clinicamente. No entanto, esta droga causa dano no trato gastrintestinal através de vários

processos, incluindo a geração de espécies reativas de oxigênio, a inibição da síntese das

prostaglandinas e peroxidação lipídica. O objetivo deste estudo foi investigar o efeito protetor

do cloridrato de epiisopiloturina, um alcalóide imidazólico encontrado nas folhas de Pilocarpus

microphyllus. A atividade protetora do cloridrato de epiisopiloturina (EPI) foi avaliada usando o

modelo de lesão gastrintestinal induzido por naproxeno em ratos Wistar. Tecidos do estômago e

intestino foram obtidos para a avaliação histológica seguida de padrões previamente descritos

na literatura. Além disso, amostras foram retiradas para determinar os níveis de glutationa

(GSH), malondialdeído (MDA), atividade da mieloperoxidase (MPO) e os níveis do fator de

necrose tumoral (TNF-α), interleucina (IL)-1β e interleucina (IL)-10. Para avaliar alterações

fisiológicas, foram avaliados os parâmetros de muco aderido à parede gástrica, secreção e fluxo

sanguíneo gástrico (FSG). O pre-tratamento com EPI reduziu a lesão macroscópica gástrica

induzida por naproxeno com efeito máximo na dose de 10 mg/kg i.p. (68% de inibição de

lesão). Além disso, EPI apresentou proteção significativa somente na dose de 10 mg/kg i.p.

frente a lesão intestinal induzida por naproxeno. A análise histológica mostrou que o naproxeno

apresentou lesão hemorrágica, edema, perda de células epiteliais e aumento infiltrado de células

inflamatórias. Em contraste, o pretratamento com EPI diminuiu o infiltrado de células

inflamatórias, formação de edema e perda de células epiteliais. Naproxeno aumentou os níveis

de MPO e MDA (MPO: 10,9 ± 1,8 U/mg e 18,3 ± 1,5 U/mg de tecido gástrico e intestinal,

respectivamente; MDA: 157,3 ± 18,1 nmol/g e 313,8 ± 33,3 nmol/g de tecido gástrico e

intestinal, respectivamente) e reduziu os níveis de GSH (76,79 ± 11,70 mg/g e 93,1 ± 20 mg/g

de tecido gástrico e intestinal, respectivamente). No entanto, EPI alterou os parâmetros gástricos

bioquímicos, reduziu MPO (3,4 ± 0,3 U/mg de tecido), MDA (70,4 ± 8,3 mg/g de tecido) e

GSH (246,2 ± 26,4 mg/g de tecido), enquanto mudou no tecido intestinal apenas GSH e MPO

(189.5±27.2 mg/g and 11,39 ± 2,6 U/mg de tecido, respectivamente). Naproxeno diminuiu a

quantidade de muco aderido (0,0224 ± 0,0057 μg/g de tecido) quando comparado ao grupo

controle. Entretanto, o pré-tratamento com EPI não modificou esses efeitos fisiológicos quando

comparados com o grupo controle (0,0262 ± 0.0061 μg/g de tecido, i.p. e 0,0258 ± 0.0041 μg/g

de tecido, v.o.). Na secreção ácida gástrica, EPI não mostrou nenhuma alteração no volume, pH

e total de acidez. Naproxeno aumentou os níveis do fator de necrose tumoral (TNF-α)

(988.2±52.01 pg/mL) enquanto o pré-tratamento com EPI reduziu (700,5 ± 59,95 pg/mL). Por

fim, no FSG, EPI i.p. aumentou o fluxo sanguíneo em 15% sugerindo importante fator de

gastroproteção. Nossos resultados sugerem que EPI i.p. desempenha sobretudo papel

gastroprotetor na lesão induzida por naproxeno através de mecanismos antioxidantes, redução

de citocina inflamatória e aumento da taxa de FSG.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Externo ao Programa - 2457259 - MOISES TOLENTINO BENTO DA SILVA
Interno - 423551 - RITA DE CASSIA MENESES OLIVEIRA
Notícia cadastrada em: 20/11/2014 15:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 24/02/2021 17:51