Notícias

Banca de DEFESA: CAMILA ERNANDA SOUSA DE CARVALHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CAMILA ERNANDA SOUSA DE CARVALHO
DATA: 27/02/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais - NPPM/CCS/UFPI
TÍTULO:

DETERMINAÇÃO DAS ATIVIDADES ANTILEISHMANIA, CITOTÓXICA E DE PARÂMETROS DE ATIVAÇÃO DE MACRÓFAGOS DO ÓLEO ESSENCIAL DAS FOLHAS DE Myracrodruon urundeuva (Engl.) Fr. All


PALAVRAS-CHAVES:

Myracrodruon urundeuva, Atividade antileishmania, Leishmania amazonensis, Citotoxicidade, Óleo essencial.


PÁGINAS: 109
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
RESUMO:

A leishmaniose é uma miscelânea de doenças parasitárias causadas por protozoários do gênero Leishmania. Os fármacos utilizados no seu tratamento apresentam altos índices de desenvolvimento de resistência, regimes de tratamento com altas doses por longos períodos, administração parenteral e alta toxicidade renal e cardíaca, o que tornam sua administração limitada. Neste cenário, destacam-se os óleos essenciais, que são substâncias complexas constituídas por metabolitos secundários de plantas, que têm apresentado resultados surpreendentes em experimentos, em decorrência das inúmeros atividades farmacológicas e, dentre elas, atividade antileishmania. Assim, esse trabalho teve como objetivo determinar os principais constituintes do óleo essencial das folhas de Myracrodruon urundeuva (Engl.) Fr. All., investigar seu potencial antileishmania, bem como avaliar sua citotoxicidade e capacidade de ativação de macrófagos como possível mecanismos de ação antileishmania. Nossos resultados mostram que o óleo essencial de M. urundeuva possui três compostos principais sendo a classe mais abundante a de monoterpenos (95,4%), constituídos de dois mircenos isômeros, e o terceiro composto um sesquiterpeno, cariofileno (4,6%). O óleo inibiu o crescimento das formas promastigotas de Leishmania amazonensis com uma concentração inibitória média (CI50) de 205 µg/mL em 48 horas de exposição. Contra formas amastigotas axênicas apresentou uma CI50 de 104,5 µg/mL. Macrófagos infectados com L. amazonensis e tratado com o mesmo óleo revelou uma redução dependente de concentração, tanto no percentual de infecção como no número de amastigotas por macrófagos, com IC50 de 44,5 µg/mL. Os valores de concentrações citotóxicas média (CC50) obtidos para macrófagos foi de 550 µg/mL, superando os valores de CI50 para amastigotas. A citotoxicidade do óleo de M. urundeuva sobre eritrócitos humanos de tipo sanguíneo O+ foi baixa, apresentando 20% na maior concentração testada que foi de 800 µg/mL.  O óleo essencial incrementou a capacidade fagocítica, contudo não estimulou a atividade lisossomal. A produção de óxido nítrico foi reduzida nas maiores concentrações do óleo (800, 400 e 200 µg/mL), sugerindo que a atividade antileishmania não atua por essa via. Pode-se concluir que o óleo essencial de M. urundeuva apresenta atividade antileishmania significativa, com baixa citotoxicidade para células de mamífero.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167750 - FERNANDO AECIO DE AMORIM CARVALHO
Externo ao Programa - 2148219 - JUAN CARLOS RAMOS GONCALVES
Externo ao Programa - 1350350 - MARIA DAS GRACAS FREIRE DE MEDEIROS
Notícia cadastrada em: 27/02/2015 11:18
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 24/02/2021 17:25