Últimas Notícias
Banca de DEFESA: GEOVANA ALVES ROCHA VIEIRA
Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GEOVANA ALVES ROCHA VIEIRA
DATA: 22/07/2019
HORA: 14:00
LOCAL: PRODEMA-UFPI
TÍTULO: DESAFIOS DA HABITAÇÃO POPULAR EM CIDADES CONTEMPORÂNEAS: ESTUDO DE ASSENTAMENTOS URBANOS INFORMAIS NA CIDADE DE TERESINA, PIAUÍ
PALAVRAS-CHAVES: sustentabilidade urbana, direito à cidade, regularização fundiária, gestão do território, assentamento urbano informal
PÁGINAS: 196
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A partir do século XX, no Brasil, inicia-se de modo acelerado o processo de crescimento das cidades associado a um rápido aumento demográfico desacompanhado pela implantação de infraestrutura urbana e redes habitacionais suficientes. Como resultado, a ausência de espaços residenciais adequados e, financeiramente acessíveis, levou a população a se instalar em áreas fora da ocupação formal, resultando na criação de moradias em favelas urbanas. A capital do Piauí, estado do Nordeste do Brasil, sofreu elevada expansão na década de 1970, com o surgimento de novos polos de densidade populacional e, juntamente com eles, o aumento dos setores de pobreza na cidade, de forma mais intensa desde a década de 1990. Neste período, foi intenso o estabelecimento de ocupações espontâneas de grande porte na capital, como a Vila Irmã Dulce, atualmente com 3.989 unidades habitacionais, na zona Sul de Teresina, além das vilas Santa Bárbara, 1.800 domicílios, na zona Leste, e Vila Alto da Ressurreição, 3.000 domicílios, zona Sudeste da capital, apoiados pelos movimentos sociais e resguardados pela Constituição democrática estabelecida no país, em 1988. Atualmente, apenas em Teresina há mais de 200 mil pessoas residindo na informalidade segundo dados da Prefeitura Municipal de Teresina (PMT) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Assim, uma vez que a falta de moradia atinge milhares de brasileiros, há a necessidade de estudos voltados para a questão da moradia e da regularização fundiária, não só em Teresina, mas em todo o país. Desta forma, esta pesquisa tem como objetivo analisar a presença dos assentamentos urbanos informais, seu impacto ambiental e sua influência na transformação do espaço urbano da cidade de Teresina, Piauí. Como objetivos específicos têm-se discussão sobre aspectos da gestão urbana voltados para o direito à cidade, enfocando a informalidade habitacional, além disso, identificar os assentamentos informais e verificar sua inserção urbana na cidade de Teresina, ainda, analisar a expansão do espaço urbano da capital do Piauí, a partir da inserção das ocupações espontâneas na cidade. Do mesmo modo, avaliar a implantação no espaço urbano das ocupações espontâneas estudadas e, caracterizar os assentamentos informais estudados, enfocando o processo de ocupação e a relação de seus moradores com a comunidade. Para isso, foi realizada coleta de documentos em agências públicas, como a Prefeitura de Teresina e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, além da visita de campo nas referidas comunidades com aplicação de entrevista semiestruturada e registros fotográficos. Foram elaborados, por meio do software ArcGis, versão 10.3, mapas do espaço urbano de Teresina com a inserção dos assentamentos urbanos informais. Assim, foi observado que o processo de urbanização das cidades brasileiras levou a produção de espaço urbano caracterizado pelo espraiamento, exclusão e desigualdades socioespaciais. Embora, tenha havido melhorias significativas, quanto a políticas urbanas no país, especialmente nos anos 2000, elas não foram devidamente implantadas, potencializando a ação do mercado imobiliário privado especulativo, aumentando a barreira dos pobres urbanos ao acesso a cidade formal.  Assim, carentes de acesso à terra formal, a população de menor poder aquisitivo, busca na informalidade a alternativa para aquisição da moradia, aumentando, cada vez mais, a quantidade de assentamentos urbanos informais no espaço urbano da cidade de Teresina, distribuídos por todas as quatro regionais da cidade, sejam nas áreas centrais ou nas periferias. Diante disso, há uma necessidade constante e incessante de estudos voltados para a problemática da habitação no país.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CLÁUDIO JORGE MOURA DE CASTILHO - UFPE
Interno - 1046342 - ELAINE APARECIDA DA SILVA
Interno - 423289 - JOAO BATISTA LOPES
Externo ao Programa - 2445445 - KARENINA CARDOSO MATOS
Externo à Instituição - LUCINEIDE BARROS MEDEIROS - UESPI
Externo à Instituição - PAULO HENRIQUE DE CARVALHO BUENO - IFPI
Presidente - 1354664 - WILZA GOMES REIS LOPES

Cadastrada em: 28/06/2019
Mais Notícias
Processos Seletivos Veja abaixo os processos seletivos disponíveis para nosso Programa de Pós-Graduação.
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Programa de Pós-Graduação.
  • 21/02/2019 - 22/02/2019 · Matrícula para o período 2019.1.
  • 07/03/2019 · Início do período letivo 2019.1.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 23/07/2019 08:35