Notícias

Banca de DEFESA: ENÉAS FONSÊCA PINHO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ENÉAS FONSÊCA PINHO
DATA: 24/08/2020
HORA: 08:30
LOCAL: Acesso Remoto
TÍTULO: A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICO- FINANCEIRA E AS DIRETRIZES ORGANIZACIONAIS DOS BANCOS COMUNITÁRIOS DE DESENVOLVIMENTO: o caso do Banco dos Cocais no município de São João do Arraial – PI.
PALAVRAS-CHAVES: Bancos comunitários de desenvolvimento. Diretrizes organizacionais. Sustentabilidade econômico-financeira
PÁGINAS: 106
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A pobreza e a consequente falta de desenvolvimento regional afligem a muitas pessoas
ao redor do mundo e afligem em especial algumas regiões do planeta. As definições e
causas da pobreza e do desenvolvimento são assuntos amplamente discutidos assim como
as suas prováveis soluções. Parece claro que um dos grandes causadores da pobreza e de
suas consequências é a impossibilidade de acumulo de capital causada principalmente
pela dificuldade de acesso aos meios de produção ou, pelo menos, do acesso ao crédito
necessário ao seu acesso. Esse fenômeno denominado de exclusão financeira, é causado
principalmente pela necessidade de regulação dos mercados no sentido de protege-los de
um problema mais sério. E assim temos uma situação em que as ferramentas criadas para
a proteção dos mais fracos terminam sendo também as ferramentas que fazem com que
os mais pobres sejam excluídos das soluções propostas. Foi em uma das regiões mais
pobres do mundo que surgiu uma solução prática para o problema da pobreza causada
pela falta de acesso ao mercado financeiro: os bancos comunitários de desenvolvimento.
Desde a implantação dessa solução, sua prática vem sendo expandida mundo a fora,
surpreendentemente não apenas em regiões muito pobres, mas principalmente nelas. Pela
inovação provocada pelo negócio proposto, era de se esperar uma série de situações de
gestão até então inusitadas. Um dos pontos de interesse no estudo da gestão deste tipo de
empreendimento está o dilema de decisão que envolve a gestão destas entidades: o que
deve ser privilegiado? As diretrizes organizacionais da entidade ou a sua sustentabilidade
econômico-financeira? Em 2007 a solução dos bancos comunitários de desenvolvimento
chegou ao Piauí por meio do Banco Comunitário de Desenvolvimento dos Cocais. O
presente trabalho teve a intenção de avaliar, no âmbito da gestão do referido banco
comunitário, o comportamento da gestão diante do dilema causado pelas contradições
entre as diretrizes organizacionais e a sustentabilidade econômico-financeira. Para atingir
esse objetivo foi feita uma entrevista com a gestão do banco assim como o levantamento
de dados e documentos obtidos dos controles financeiros da entidade. Os resultados da
pesquisa demonstram que a gestão do Banco Comunitário de Desenvolvimento dos
Cocais toma suas decisões orientada principalmente pelas suas diretrizes organizacionais.
Apesar disso os dados demonstram que a entidade é viável econômica e financeiramente
e completamente autossustentável. Observa-se também que, apesar de existir uma crença
de que a inadimplência deste tipo de empreendimento seja baixa, no Banco dos Cocais
ela é elevada a ponto de prejudicar o seu desempenho financeiro. Os números
demonstram que a rentabilidade da entidade pode ser atribuída às altas taxas de juros
praticadas o que reforça o pensamento de que o mercado em que o banco atua é viável
especialmente para entidades bem administradas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1578450 - ADRIANA CASTELO BRANCO DE SIQUEIRA
Interno - 2202532 - FABIANA RODRIGUES DE ALMEIDA CASTRO
Externo ao Programa - 1167777 - MANOEL RICARDO ARRAES FILHO
Notícia cadastrada em: 06/08/2020 17:10
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 08/12/2022 03:03