Notícias

Banca de DEFESA: HILDETE LEAL DO NASCIMENTO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: HILDETE LEAL DO NASCIMENTO
DATA: 29/12/2022
HORA: 08:30
LOCAL: Auditório da Pós-Graduação do Centro de Ciências Agrárias/UFPI.
TÍTULO: Produção e avaliação de fertilizante organomineral obtido de substâncias húmicas da turfa.
PALAVRAS-CHAVES: Biofertilizante; Condicionador de solo; Zea mays; Glycine max.
PÁGINAS: 42
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

Atualmente, o Brasil é o quarto consumidor mundial de fertilizantes; a expansão de cultivos tecnificados com espécies anuais oleaginosas, cereais e fibras está entre as principais causas da crescente demanda por fertilizantes e sua importação. Portanto, um dos grandes desafios na busca da sustentabilidade da agricultura está na adubação, que depende de fontes minerais não renováveis para o fornecimento de elementos minerais. Objetivou-se obter um fertilizante organomineral, a partir da turfa, bem como, avaliar o desenvolvimento de plantas de milho e soja em resposta à aplicação de diferentes concentrações deste fertilizante organomineral, associado ou não a adubação mineral (NPK). O estudo foi realizado em duas etapas, onde, primeiramente foi realizada a produção do fertilizante organomineral a partir de extração alcalina de substâncias húmicas (SHs) presentes na turfa, em duas proporções de turfa/extrator (1:5 e 1:20 m/v), sendo selecionada a razão 1:5 que foi a que proporcionou maior concentração de SHs. Posteriormente foi conduzido experimento em casa de vegetação. Foi adotado o delineamento experimental em blocos completos casualizados com quatro repetições, em esquema fatorial com dois tratamentos adicionais [(2x4)+2]. Os tratamentos consistiram na utilização ou não de NPK (Com NPK; Sem NPK) e às quatro concentrações do fertilizante organomineral (0,1%; 0,3%; 0,5% e, 1%). O experimento ainda contou com testemunha que não recebeu nenhuma das fontes de adubação (mineral e organomineral), bem como testemunha que recebeu somente adubação com NPK. Os resultados mostraram que a associação de NPK + organomineral provocaram melhorias nos atributos das plantas, sobretudo quando utilizadas as maiores concentrações (0,5% e 1%). Os valores de altura de plantas (AP), massa seca da parte aérea (MSPA) e comprimento de raiz (CR) foram os mais responsivos às diferentes concentrações do fertilizante organomineral em ambas culturas, sendo que no milho o ponto máximo de CR foi obtido na concentração 0,81% e MSPA na concentração 0,58%. E na soja os maiores valores de CR foram observados nos tratamentos sem NPK, somente organomineral, na concentração de 1%. Conclui-se que, as concentrações crescentes de fertilizante organomineral associadas a NPK influenciaram a resposta de plantas de milho e soja, quanto ao desenvolvimento vegetativo. 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 626.068.833-49 - JADSON EMANUEL LOPES ANTUNES - UFPI
Externo à Instituição - JOÃO PEDRO ALVES DE AQUINO - UESPI
Interno - 2115817 - RICARDO SILVA DE SOUSA
Externo à Instituição - SANDRA MARA BARBOSA ROCHA - IFMA
Notícia cadastrada em: 12/12/2022 15:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 16/06/2024 03:23