Notícias

Banca de DEFESA: MARILHA VIEIRA DE BRITO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARILHA VIEIRA DE BRITO
DATA: 23/02/2024
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do Núcleo da Pós-graduação do Centro de Ciências Agrárias-CCA/UFPI
TÍTULO: Herança genética e seleção de linhagens para resistência à antracnose em feijão-fava.
PALAVRAS-CHAVES: Colletotrichum truncatum, controle genético; escala diagramática; microscopia; parâmetros genéticos; Phaseolus lunatus
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O feijão-fava, importante leguminosa do gênero Phaseolus, tem sido cultivado no Brasil, principalmente na região Nordeste. Oscilação na sua produtividade de grãos pode ocorrer devido à ocorrência de doenças, dentre as quais encontra-se a antracnose. Assim, objetivou-se elucidar o processo de infecção por Colletotricum truncatum utilizando microscopia de varredura; determinar o padrão de herança da resistência deste fungo em cruzamentos entre acessos resistentes e suscetíveis do Banco de Germoplasma de Phaseolus da Universidade Federal do Piauí (UFPI); apresentar escala diagramática específica, adaptada aos sintomas da antracnose em vagens de feijão-fava; selecionar linhagens F8 de feijão-fava quanto a resistência à antracnose e realizar avaliação de populações F5 de feijão-fava quanto a resistência à antracnose e padrão comercial das sementes, em condições de campo. Os experimentos para obtenção do material genético, avaliação e seleção foram conduzidos no Departamento de Fitotecnia do Centro de Ciências Agrárias da UFPI, em Teresina - PI. O estudo de microscopia de varredura possibilitou elucidar as fases de fixação de conídios, germinação e formação de apressórios melanizados, que ocorrem de forma semelhante nos genótipos resistentes e suscetíveis. No entanto, a colonização ocorre mais rapidamente nos acessos suscetíveis quando comparados aos resistentes. Quanto ao estudo do controle genético, constatou-se as seguintes situações: no cruzamento BGP-UFPI 832 x BGP-UFPI 860, a segregação na população F2 foi ajustada à razão 3R:1S, confirmando que a resistência ao isolado CT4 de C. truncatum foi conferida por um gene dominante; já a segregação na população F2 do cruzamento entre as os acessos BGP-UFPI 1001 e BGP-UFPI 862 foi ajustada à frequência aproximada de 9:7. A estimativa da severidade real da doença em vagens de feijão-fava, em campo, foi realizada com base na escala diagramática proposta, diminuindo a subjetividade na avaliação dos sintomas da antracnose. Contudo, é essencial a validação da escala, posterioemente, para comprovação da sua eficiência. Na seleção das linhagens F8 de feijão-fava em campo, identificouse H25-65, H53 e H72 como resistentes. Na avaliação das populações segregantes foi observado que as populações “UFPI 1002 x UFPI 220”, “UFPI 798 x UFPI 832” e “UFPI 1001 x UFPI 220” apresentam caracteres desejáveis em relação às vagens, sementes e resistência ao fungo C. truncatum. Essas informações são muito relevantes para o programa de melhoramento de feijão fava visando resistência à antracnose.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - GILSON SOARES DA SILVA - UEMA
Externo ao Programa - 3332746 - HERIKSEN HIGASHI PUERARI
Externo à Instituição - LEÔNIDAS LEONI BELAN - UEMASUL
Presidente - 423361 - REGINA LUCIA FERREIRA GOMES
Interno - 930.516.623-72 - VERÔNICA BRITO DA SILVA - UENF
Notícia cadastrada em: 01/02/2024 17:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 14/06/2024 23:49