Notícias

Banca de DEFESA: THIAGO RAMOS DE MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIAGO RAMOS DE MELO
DATA: 23/03/2016
HORA: 10:00
LOCAL: SALA 458 DCS- CCE UFPI
TÍTULO:

ENFRENTAMENTOS E TENSÕES: UMA ANÁLISE DE DISCURSOS DE CHARGES SOBRE O ATENTADO AO CHARLIE HEBDO


PALAVRAS-CHAVES:

Atentado ao Charlie Hebdo. Charges. Discurso. Liberdade de Expressão. Religião Islâmica


PÁGINAS: 137
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
SUBÁREA: Teoria da Comunicação
RESUMO:

Neste trabalho, procurou-se analisar como são construídas as representações acerca do atentado ao jornal satírico francês Charlie Hebdo nos discursos de charges de circulação nacional. O atentado, ocorrido do dia 7 de janeiro de 2015 quando dois homens armados invadiram a sede do semanário, matando 12 pessoas, gerou uma série de discussões orientadas por posicionamentos ideológicos divergentes acerca dos limites da Liberdade de Expressão e do respeito à religião Islâmica. Considera-se que as charges produzidas sobre o atentado não só captam pontos de tensões e enfrentamentos ideológicos em meio a este complexo contexto que envolve o ataque e as questões por ele suscitadas, como também contribuem para reforçar posicionamentos hegemônicos nos embates em nível discursivo. Diante isso, adotou-se como aporte teórico metodológico a proposta da Análise de Discurso Crítica (ADC), que busca prover bases científicas para uma reflexão crítica da vida social em termos políticos e morais, isto é, em termos de justiça social e poder (FAIRCLOUGH, 2003), com o objetivo de identificar como efeitos ideológicos podem estar servindo para reforçar/legitimar determinados posicionamentos. Autores como Chouliaraki e Fairclough (1999, 2001, 2003), Kress e Van Leeuwen (2006), Resende e Ramalho (2006, 2011), Magalhães (2003), Thompson (1995), Vilches (1984, 1997), entre outros, mostram-se fundamentais na composição desta pesquisa. Por fim, infere-se que as charges analisadas omitem-se, em sua maioria, de discussões mais aprofundadas que perpassam o tema, embora carreguem um potencial crítico para isso. Seus posicionamentos são, em grande parte, em concordância com o discurso da Liberdade de Expressão, reforçados e defendidos por grupos políticos e midiáticos, em favor da manutenção/perpetuação da estrutura dominante


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1354316 - ANA REGINA BARROS REGO LEAL
Presidente - 423514 - FRANCISCO LAERTE JUVENCIO MAGALHAES
Externo à Instituição - SILVANA MARIA CALIXTO DE LIMA - UESPI
Notícia cadastrada em: 01/03/2016 10:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 01/12/2020 06:24