Notícias

Banca de DEFESA: EVANNOEL DE BARROS LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EVANNOEL DE BARROS LIMA
DATA: 26/06/2015
HORA: 16:00
LOCAL: SALA DE VÍDEO I CCHL -UFPI
TÍTULO:

As representações sociais partilhadas por professores de matemática acerca dos alunos das escolas públicas e privadas do ensino médio.


PALAVRAS-CHAVES:

Escola, Violência simbólica, Representações Sociais.


PÁGINAS: 123
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

A pesquisa analisou as representações sociais que os professores de

matemática compartilham sobre os estudantes das escolas públicas e privadas do ensino

médio de Teresina. O objeto de estudo, portanto, foram as representações partilhadas

pelos professores acerca dos alunos das escolas públicas e privadas de Teresina. A

metodologia aplicada foi predominantemente qualitativa, obedeceu às pressuposições da

dupla ruptura epistemológica, utilizou a observação não participante e entrevistas semi-

estruturadas para analisar os conteúdos dessas representações sociais. Assim, a nossa

problemática assentou-se na seguinte questão: quais representações sociais, os

professores de matemática do ensino médio produzem sobre alunos das redes pública e

privada de Teresina? A pergunta foi formulada porque temos como pressuposto central

a ideia que a violência simbólica produzida pelos professores em suas representações

sobre os alunos pode ser um dos múltiplos fatores para aumentar o risco de abandono,

nas escolas públicas de Teresina. O ensino médio foi escolhido porque é o nível de

ensino com maiores problemas de fracasso escolar no país. A disciplina matemática

tornou-se adequada para nossa investigação por três motivos: monopoliza o maior

número de horas-aulas no ensino básico, possui uma representação social de ser uma

disciplina de difícil aprendizagem e constitui-se de um conteúdo basilar para a formação

do raciocínio lógico. Os autores que fundamentaram nossa proposta foram Bourdieu e

Moscovicci com as categorias de habitus e representações sociais. Partimos da

pressuposição teórica que os professores constroem representações sobre os alunos em

práticas cotidianas e isto, por sua vez, produz uma violência simbólica. Essa violência

simbólica demonstrou ser uma das determinações que contribuem para a produção do

fracasso escolar.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 423549 - LUIS CARLOS SALES
Interno - 1581663 - MARIA SUELI RODRIGUES DE SOUSA
Presidente - 1167837 - WASHINGTON LUIS DE SOUSA BONFIM
Notícia cadastrada em: 02/06/2015 08:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 04/06/2020 16:01