Notícias

Banca de DEFESA: JOÃO WALLACE LINHARES DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOÃO WALLACE LINHARES DE SOUSA
DATA: 25/09/2015
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 337 - PPGS - CCHL/UFPI
TÍTULO:

O EFEMINADO E OS OUTROS: MASCULINIDADES HOMOSSEXUAIS E DISCRIMINAÇÕES EM AMBIENTES GLS DE TERESINA.


PALAVRAS-CHAVES:

efeminado.espaços de sociabilidade lgbt. discriminação.


PÁGINAS: 158
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

As mudanças políticas e econômicas que ocorreram no Brasil e no mundo a partir da década de 1970 transformaram as formas e os espaços destinados à sociabilidade homossexual. Novos estabelecimentos comerciais voltados para esse público deixaram de estar localizados em "guetos" (PERLONGHER, 1987; FRANÇA, 2010) e diversificaram seus serviços para além de espaços para sexo. Contudo, trouxeram em si fatores segmentadores como o valor para consumo, o gênero, a aparência e raça/etnia dos frequentadores. As figuras que habitavam os “guetos” homossexuais, como travestis, michês, bichas efeminadas, lésbicas masculinizadas, pobres e negros não conseguiram se integrar nos novos espaços, mesmo quando possuíam condições financeiras (FRANÇA, 2010). É nessa época em que no Brasil os homens homossexuais passam a buscar se distanciarem da imagem da "bicha" ou "viado", isto é, efeminado, aderindo cada vez mais a uma conduta e aparência viril, que não destoasse dos homens heterossexuais. Essa postura passa a ser mais aceita na sociedade de forma geral e no próprio meio homossexual, sendo comum certa recusa aqueles que são considerados efeminados tanto nos espaços GLS como nas redes sociais da internet (COLLING, 2011; MACRAE, 2011; ZAGO e SEFFNER, 2008). Diante disso, o presente trabalho intenta investigar possíveis discriminações que ocorrem nos espaços GLS (Gays, Lésbicas e Simpatizantes) de Teresina tendo como motivo a conduta efeminada dos frequentadores, bem como saber se essas experiências incidem de alguma forma na construção de suas masculinidades. Para tanto, o referencial teórico toma como bases os estudos de gênero (SCOTT, 1995; LAURETIS, 1994; CONNELL, 1995a; 1995b), masculinidades (WELZER-LANG, 2001; BOURDIEU, 2009) e homossexualidade no Brasil (GUIMARÃES, 2004; FRANÇA, 2010; PARKER, 2007; FRY e MACRAE, 1983). Apresenta-se aqui a descrição de nove locais de frequentação homossexual de Teresina, sendo três bares, uma festa, um cinema e quatro casas noturnas. Mais do que seus aspectos estruturais, ressalta-se suas formas de organização, a distribuição espaço temporal dos frequentadores e as interações entre o público. As considerações sobre esses locais são feitas com base nos registros do diário de campo e entrevistas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 423568 - FRANCINEIDE PIRES PEREIRA
Interno - 1167589 - FRANCISCO DE OLIVEIRA BARROS JUNIOR
Externo ao Programa - 423559 - SOLIMAR OLIVEIRA LIMA
Notícia cadastrada em: 24/09/2015 15:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 04/06/2020 15:58