Notícias

Banca de DEFESA: JOVIANE APARECIDA DE MOURA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOVIANE APARECIDA DE MOURA
DATA: 28/09/2017
HORA: 15:30
LOCAL: SALA DE VÍDEO I CCHL/UFPI
TÍTULO: A IMPLEMENTAÇÃO DA REFORMA PSIQUIÁTRICA EM TERESINA: DESVELANDO ATORES E PROCESSOS
PALAVRAS-CHAVES: Reforma Psiquiátrica; políticas públicas; desinstitucionalização.
PÁGINAS: 155
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

O Brasil está experienciando a Reforma Psiquiátrica, relativa à transição para um novo modelo de cuidado para as pessoas em sofrimento mental em substituição às estruturas asilares. Esse processo se iniciou no final da década de 1970, no contexto da redemocratização do país, sob influência do Movimento da Reforma Sanitária. Nesse sentido, propomos um estudo sobre a Reforma Psiquiátrica em Teresina, visando compreender se o modelo de implementação dessa política impacta na desinstitucionalizacão da loucura e se contribui para a consolidação dos princípios da luta antimanicomial. O presente estudo está delineado em uma perspectiva qualitativa de pesquisa. Está ancorada na modalidade de pesquisa de campo, onde foi realizada uma inserção no contexto de vida cotidiana. Para a coleta de dados foram escolhidas como técnicas a análise documental e realização de entrevistas abertas com a finalidade de aprofundar as questões que os dados coletados nos documentos não permitirem explorar suficientemente. Para a interpretação dos dados foi utilizada a Análise temática ou categorial. O campo da pesquisa foi constituído principalmente pela Gerência de Saúde Mental de Teresina, a Gerência de Saúde Mental do Estado do Piauí e o Ministério Público Estadual. A amostra da população entrevistada foi constituída por pessoas que fizeram/fazem parte da implementação da Reforma Psiquiátrica na cidade de Teresina e que exerciam função/papel de gestores. Esta subdividido em três capítulos. O primeiro capítulo tem por objetivo apresentar um breve resgate histórico da loucura, refletindo sobre as diversas interpretações dadas a esse fenômeno e os distintos espaços sociais que lhe foram concedidos. Faz uma discussão teórica de alguns conceitos pertinentes ao tema da constituição da psiquiatria enquanto tutora da loucura, com o mandato social de única conhecedora desse objeto e como este saber foi questionado durante a Reforma Psiquiátrica, que trouxe uma nova perspectiva para acolher o sofrimento mental, ajudando a desconstruindo o paradigma manicomial. O segundo capítulo apresenta um panorama geral sobre políticas públicas, destacando alguns importantes conceitos da sociologia que auxiliam na sua compreensão e análise. Faz ainda um recorte histórico sobre a Reforma Psiquiátrica brasileira e a implementação do SUS. Por ultimo traz um resgate sobre a assistência à saúde mental em Teresina e a implementação da Reforma na cidade. O terceiro capítulo apresenta a análise das entrevistas e dos documentos, interligando esses conteúdos às teorias estudas, com o objetivo de compreender quais os impactos do modelo de implementação da Reforma Psiquiátrica no município, principalmente no que diz respeito ao processo de desinstitucionalização.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167736 - ANA BEATRIZ MARTINS DOS SANTOS SERAINE
Interno - 1167741 - FERDINAND CAVALCANTE PEREIRA
Externo ao Programa - 423621 - LUCIA CRISTINA DOS SANTOS ROSA
Notícia cadastrada em: 11/09/2017 09:28
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 04/06/2020 15:19