Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: IANARA SILVA EVANGELISTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IANARA SILVA EVANGELISTA
DATA: 25/10/2017
HORA: 08:30
LOCAL: SALA DE VIDEO I - CCHL/UFPI
TÍTULO: Rotas críticas de mulheres na superação da violência doméstica e familiar em Teresina-PI
PALAVRAS-CHAVES: Gênero; Violência; Políticas de Enfrentamento; Rota Crítica.
PÁGINAS: 102
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

A violência doméstica e familiar é um problema social grave, fruto das relações de poder entre os sexos, perpetuada de geração em geração, atingindo mulheres de diversas formas, independente da classe social, raça, etnia, idade, religião ou nível de escolaridade, fruto de uma cultura patriarcal e machista. Neste sentido, o feminismo tem sido fundamental na luta pela igualdade de direitos entre homens e mulheres, tornando esse problema visível e reconhecido como violação dos direitos humanos das mulheres. Desse modo, foram criadas diversas medidas de enfrentamento e combate a essa violência, provenientes de acordos, pactos, leis e conferências onde o Brasil é signatário. Reflexos dessas ações é afirmado pelo aumento crescente das denúncias e, consequentemente a busca pelo rompimento. Dessa maneira, o presente estudo tem como objetivo geral compreender o processo de ruptura das mulheres que vivenciaram a violência doméstica e familiar, considerando a sua trajetória na rota crítica, com a finalidade de saber sobre os fatores impulsionadores e inibidores (internos e externos), bem como as estratégias utilizadas nesse percurso. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, com a aplicação de entrevistas semiestruturadas e observações sistemáticas junto as mulheres egressas da Casa Abrigo “Mulher Viva”. O tratamento analítico dos dados será realizado via análise do discurso. A fundamentação teórica que embasa este estudo ancora-se em gênero como elemento constitutivo das relações sociais e de poder a partir das concepções teóricas de Bourdieu e Foucault; discussão acerca da violência contra a mulher, destacando seus tipos, termos correlatos e políticas públicas de enfrentamento; e, por fim, a discussão sobre rota crítica, compreendida como um complexo emaranhado de atitudes e decisões tomadas pelas mulheres em situação de violência, na busca pela ruptura desse ciclo. Pressupõe-se que ao romperem com a violência doméstica essas mulheres apresentam sinais de empoderamento quando passam a tomar suas próprias decisões, conquistam a autonomia econômica, participam de ações políticas de combate à violência, quando reconhecem e não aceitam relações afetivas do tipo abusivas. Apresenta-se, ainda informações iniciais relativas à pesquisa de campo, ainda em processo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3495439 - ELISIANE GOMES BONFIM
Interno - 423568 - FRANCINEIDE PIRES PEREIRA
Presidente - 1550487 - MARY ALVES MENDES
Notícia cadastrada em: 13/10/2017 16:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.instancia1 11/08/2020 04:18