Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MILANE BATISTA DA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MILANE BATISTA DA SILVA
DATA: 29/11/2017
HORA: 09:00
LOCAL: SALA 316/CCHL
TÍTULO: POLÍTICAS CULTURAIS E RURALIDADES: UM ESTUDO DE SENTIDOS PRODUZIDOS POR ATORES SOCIAIS ENVOLVIDOS COM O PROGRAMA ARCA DAS LETRAS NO RURAL TERESINENSE
PALAVRAS-CHAVES: Políticas Culturais; Ruralidades; Programa Arca das Letras – Teresina-PI; Políticas Culturais de Incentivo à leitura.
PÁGINAS: 150
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

O debate sobre rural e relações rural-urbanas não pode ignorar inflexões – nas representações de rural como periférico – voltadas à perspectiva de cidadania cultural. Isto supõe pensar políticas de cultura no campo com a mesma atenção dada a áreas urbanizadas, uma vez que, em localidades rurais, estas ainda não apresentam protagonismo. Entende-se rural e cidade como categorias de classificação de espaços geossimbólicos, como conceito e como representação social. O Programa Arca das Letras, da SEAD, instituído na última década, por demanda de movimentos sociais, apresenta-se como uma política cultural de incentivo à leitura voltada para o rural, visando a disponibilizar acesso a livros e capacitar agentes de leitura.  Nesta pesquisa, focaliza-se a experiência do Programa em localidades rurais do Município de Teresina, Piauí, buscando compreender a produção de sentidos dos atores sociais envolvidos, em particular agentes de leitura e agentes públicos. Os resultados da pesquisa apontam para desativação do programa no rural teresinense causado pela sensação de abandono atribuído pelos agentes de leitura das localidades visitadas. As bibliotecas, ainda ativas, funcionam predominantemente nas sedes de algumas escolas e creches. Apesar de ter se expandido no Brasil, o Programa não atingiu força política necessária para obter maiores investimentos como uma política cultural demonstrando que as políticas culturais voltadas para o rural não tem paridade em relação a áreas urbanizadas. Assim como cultura sendo uma prática social, também não tem prioridade e nem reconhecimento nas dimensões políticas que envolvem o desenvolvimento social. Há, ainda, o presente valorização do mercado capitalista nas práticas de leitura com visivel interferência de traços da colonização do pais no processo de aprendizagem da leitura. Volta-se a atenção para necessária inserção da a cultura no centro da política e das análises sociopolíticas, com respeito aos regionalismos e sob a forma de políticas públicas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1167705 - MARIA DIONE CARVALHO DE MORAIS
Interno - 423569 - MARLUCIA VALERIA DA SILVA
Externo à Instituição - VANIA APARECIDA COSTA - UFRN
Notícia cadastrada em: 16/11/2017 16:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 11/08/2020 04:48