Notícias

Banca de DEFESA: ALESSANDRA LEITE

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALESSANDRA LEITE
DATA: 30/05/2023
HORA: 09:00
LOCAL: PPG em Sociologia
TÍTULO: TRANSIÇÃO CAPILAR COMO AFIRMAÇÃO IDENTITÁRIA: UM MERGULHO AUTOETNOGRÁFICO DE RESISTÊNCIAS E ACEITAÇÃO DE UMA JOVEM NEGRA
PALAVRAS-CHAVES: Transição Capilar; Negritude; Identidade; Nilma Lino Gomes.
PÁGINAS: 79
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

Considerando que a sociedade moderna se encontra cada vez mais em pauta com o campo da transição capilar, sendo, inclusive, consideradas para o reconhecimento identitário, esta dissertação é uma análise intersubjetiva sobre este campo. Através de vivências pessoais foi possível me identificar como pessoa negra e capaz de suprir essa necessidade imposta pela sociedade branca de que mulheres devem ter um padrão de beleza por eles impostos, composto de cabelos lisos, peles claras e maquiagem moderada. O entendimento de forças femininas sobre se aceitar e sobre impactar outras pessoas a fazerem o mesmo é uma realidade que não está distante da nossa, inclusive acontecendo. Esta dissertação é uma pesquisa baseada em uma das maiores resistências negras das últimas décadas, Nilma Lino Gomes, pedagoga, escritora, primeira mulher negra a comandar uma universidade federal e entusiasta da luta contra o racismo, esta figura feminina tem sido inspiração para a aceitação pessoal de várias outras mulheres. Para realizar este estudo com êxito e se baseando nas premissas corretas, o objetivo geral da minha pesquisa foi analisar meu processo de transição capilar, de modo a percebê-la como afirmação de construção de identidade e resistência realizando uma análise na obra de Nilma Lino Gomes. Este posicionamento foi essencial para responder à pergunta de pesquisa: como minha experiência com a transição capilar pode estar articulada com a obra da autora Nilma Lino Gomes, sobretudo analisando através da autoetnografia as categorias identidade e resistências em sua tese?Esta dissertação demonstrou que as resistências da mulher negra no cenário moderno tem sido cada vez mais consideradas. Como é de se esperar, o aporte teórico está estruturado sob a luz das concepções de Nilma Lino Gomes e outras autoras entusiastas da luta contra o racismo, como Mbembe (2016); Munanga, (2019) e Pinto e Ferreira (2014). Os resultados desta dissertação mostraram que a luta por um espaço na sociedade ainda é tão constante como antigamente, todavia as mulheres têm recebido bem esse novo espaço por elas conquistados através de lutas e tem encorajado outras mulheres a encontrar-se com a sua real identidade. Padecer sob uma perspectiva historicamente branca, de cabelos lisos, de corpos perfeitos e da aceitação masculina, não tem sido mais vista como uma pauta a ser tratada como antigamente era, a força feminina, principalmente de mulheres negras transborda essas barreiras arcaicas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 4221710 - MARIA ROSANGELA DE SOUZA
Externo ao Programa - 1105157 - MARIANE DA SILVA PISANI
Interno - 1585600 - ROSSANA MARIA MARINHO ALBUQUERQUE
Notícia cadastrada em: 23/05/2023 09:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 19/05/2024 05:16