Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCIANA FARIAS DE ARAUJO ANDRADE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIANA FARIAS DE ARAUJO ANDRADE
DATA: 12/11/2014
HORA: 09:00
LOCAL: SALA CAMILO FILHO - CCHL
TÍTULO:

(DES)IGUAIS NA DIFERENÇA: A FORMAÇÃO TÉCNICA DAS ALUNAS DO INSTITUTO FEDERAL – CAMPUS TERESINA CENTRAL


PALAVRAS-CHAVES:

Gênero, Mulher, Educação, Trabalho.


PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

As mulheres, ao longo das últimas décadas, obtiveram grandes conquistas sobre seus direitos na sociedade. São cada vez mais crescentes os níveis de autonomia e de participação que elas têm adquirido na esfera pública, principalmente no tocante as áreas da educação e trabalho. Sabe-se que ocupam, cada vez mais, os espaços, antes, considerados masculinos não havendo a mesma reciprocidade por parte dos homens nos espaços domésticos (ROSISKA, 2003). Apesar dos avanços, a situação geral, ainda, é de desigualdade de gênero, sobretudo, na área do trabalho com as mulheres ganhando salários menores, em funções e atividades menos valorizadas e associadas à esfera doméstica. Desse modo, considera-se importante investigar a presença das mulheres nessa arena da educação e trabalho para identificar os elementos desencadeadores e influenciadores dessas desigualdades. Sendo assim, o presente estudo tem como objetivo analisar a formação escolar das alunas do Instituto Federal que estão inseridas nos cursos de eletrônica, eletrotécnica e mecânica, considerados tradicionalmente masculinos, a fim de verificar se essa Instituição contribui para a equidade de gênero requisitada no novo modelo de educação profissional e tecnológica (PDE). Toma-se como campo de pesquisa o Instituto Federal – Campus Teresina Central, primeira escola federal de educação profissional do Piauí. Trata-se de um estudo de caráter qualitativo (MAY, 2004; DENZIN & LINCOLN, 2006; POUPART et ALL, 2008), mediante o propósito de apreensão dos significados dos discursos sobre a formação escolar, cuja coleta de informações se deu através de entrevistas semiestruturadas e questionários, aplicados com alunas e docentes dos referidos cursos técnicos, compreendendo o recorte temporal de 2009 a 2013. A relevância social desse trabalho consiste em desvelar a existência de possíveis desigualdades de gênero no processo de formação profissional técnica e tecnológica das alunas inseridas nesses cursos tradicionalmente considerados redutos masculinos. A fundamentação teórica básica norteia-se numa perspectiva de gênero tomando este como elemento constitutivo das relações sociais e expressão primeira das relações de poder, através das concepções de teóricos como SCOTT (1990, 1994, 1995), BOURDIEU (1999, 2002) e FOUCAULT (1997, 2003), na interface com educação (LOURO, 1994, 1997, 2002) e trabalho (BRUSCHINI, 2000, 2008, 2011; HIRATA, 2002, 2011; AUAD, 2006). Considera-se as escolhas teóricas e metodológicas, propostas nessa pesquisa, adequadas para uma compreensão ampliada do assunto e o alcance dos objetivos pretendidos. Os resultados parciais revelam que há diferenças, no processo de formação das alunas quando comparadas aos alunos, que resultam em discriminações e, portanto, desigualdade de gênero nas práticas docentes e nos requisitos para seleção de estágio por parte das empresas conveniadas com a instituição escolar. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1167670 - MARIA DO CARMO ALVES DO BOMFIM
Presidente - 1550487 - MARY ALVES MENDES
Interno - 423633 - RITA DE CASSIA CRONEMBERGER SOBRAL
Notícia cadastrada em: 29/10/2014 08:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.instancia1 04/06/2020 15:54