Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA ANDRÉIA BRITO FERREIRA LEAL

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA ANDRÉIA BRITO FERREIRA LEAL
DATA: 21/01/2019
HORA: 15:00
LOCAL: on line
TÍTULO: Conhecimento objetivo e percebido sobre hábitos saudáveis e comportamentos de risco à saúde cardiovascular entre escolares
PALAVRAS-CHAVES: Conhecimento. Doenças Cardiovasculares. Hábitos saudáveis. Comportamentos de risco. Crianças
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Introdução: Hábitos e comportamentos prejudiciais à saúde cardiovascular presentes na infância, representam um relevante problema de saúde pública, haja vista que se associam ao risco aumentado para surgimento precoce de comorbidades e ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares fatais na vida adulta. Acredita-se que o conhecimento de crianças sobre hábitos saudáveis e comportamentos de risco cardiovascular, pode contribuir para a incorporação de boas práticas de saúde que se prolongam por toda vida, contudo, investigações dessa natureza ainda são limitadas. Objetivo: Avaliar o conhecimento objetivo e percebido sobre hábitos saudáveis e comportamentos de risco à saúde cardiovascular entre escolares e relacionar o menor conhecimento confiante às suas características sociodemograficas, educacionais e hábitos de vidaMétodos: Estudo transversal, realizado com 397 escolares na faixa etária de 7 a 11 anos, matriculados em escolas do Programa Saúde na Escola, no município de Teresina, Piauí, Brasil. O conhecimento objetivo foi avaliado utilizando o questionário CardioKids e o percebido, uma escala pictórica do tipo Likert com quatro opções de resposta (nada confiante a muito confiante). Utilizou-se o modelo de Regressão de Poisson na análise multivariada com nível de significância de 5% (p˂0,05), sendo que o critério para inclusão das variáveis nesse modelo foi a associação ao nível de 20% (p˂0,20) na análise bivariada. Resultados: Os percentuais médios gerais de conhecimento objetivo, percebido e confiante foram, respectivamente, 84,3%, 84,9% e 74,1%. Menor idade do escolar, menor escolaridade materna, estudar em séries iniciais, em tempo integral e realizar atividades complementares na escola foram associados a menor nível de conhecimento confiante. Estar em séries iniciais (1ª à 3ª séries) apresentou-se como variável que pode persistir em diferentes contextos (RP = 2,069; IC95%: 1,063-4,027). Conclusões: Os níveis satisfatórios de conhecimento objetivo e percebido não foram preditores de atitudes saudáveis, e quando avaliados isoladamente, não expressam verdadeiramente o conjunto de saberes dos escolares, daí a importância de avaliar o conhecimento confiante, o qual mostrou-se inferior entre escolares de séries iniciais. Sugere-se repensar iniciativas para promoção da saúde cardiovascular no PSE, especialmente entre escolares de séries iniciais, considerando aspectos do contexto sociodemográfico e educacional.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1943482 - CARLOS EDUARDO BATISTA DE LIMA
Interno - 1888794 - JOSE WICTO PEREIRA BORGES
Externo à Instituição - JULIO CÉSAR AYRES FERREIRA FILHO - UNINOVAFAPI
Interno - 1549654 - MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 21/12/2018 11:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 25/01/2021 14:15