Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SIMONE BARROSO DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SIMONE BARROSO DE CARVALHO
DATA: 31/01/2019
HORA: 15:00
LOCAL: on line
TÍTULO: Conhecimento, atitude e prática de adolescentes sobre vacinação contra Papilomavírus Humano
PALAVRAS-CHAVES: Conhecimentos, Atitudes e Práticas em Saúde. Papilomavírus Humano. Vacinação. Enfermagem. Educação em Saúde.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

INTRODUÇÃO: A infecção pelo HPV é responsável por aproximadamente 500 mil casos novos de neoplasia cervical em todo o mundo, e é na adolescência que existe o maior risco de infecção por este vírus em virtude do início precoce da atividade sexual, das práticas sexuais desprotegidas, grandes números de parceiros e contato com outras Infecções Sexualmente Transmissíveis. Como forma de prevenção para esse público adolescente, o Ministério da Saúde viabilizou, em 2014, a vacina HPV. A vacinação é uma estratégia relevante para a saúde pública, pois é uma ação preventiva reconhecida pelo impacto na redução da morbimortalidade de doenças imunopreveníveis. OBJETIVO: avaliar o conhecimento, a atitude e a prática de adolescentes acerca da vacinação contra Papilomavírus Humano. METODOLOGIA: estudo avaliativo do tipo Conhecimento, Atitude e Prática, de corte transversal, realizado em escolas públicas do interior piauiense, com alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. A amostra foi calculada com base em uma margem de erro de 3% e nível de confiança de 95%, totalizando 631 indivíduos. A coleta de dados ocorreu em salas reservadas no período de fevereiro a novembro de 2018, por meio de um questionário. Para a análise do conhecimento, atitude e prática utilizou-se os itens de avaliação de escala likert apresentados na Classificação dos Resultados das Intervenções de Enfermagem e para as associações entre as variáveis, foi utilizado o Teste Qui-quadrado de Pearson. RESULTADOS: A maioria dos adolescentes foram classificados com conhecimento, atitude e prática adequada, 65,9%, 80,5% e 47,3%, respectivamente. Verificou-se uma associação estatisticamente significativa entre o conhecimento e a prática (p= 0,028), porém não foi possível verificar significância entre a atitude e a prática (p= 0,663). CONSIDERAÇÕES FINAIS: Observou-se que ter conhecimento adequado aumentou a probabilidade de ter uma prática adequada. A educação em Saúde envolvendo adolescentes e familiares, consulta programada para o adolescente, a busca ativa e fortalecimento do Programa Saúde na Escola são alternativas e propostas que precisam ser revistas e avaliadas quanto a sua efetividade, pois são imprescindíveis para a conscientização e participação dos adolescentes acerca dos serviços de saúde aos quais têm direito. A participação do profissional de saúde é essencial,  principalmente o enfermeiro, visto que é um ator em ações adequadas no enfrentamento dos problemas de saúde.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1552848 - ANA ROBERTA VILAROUCA DA SILVA
Externo ao Programa - 1863830 - ANDRESSA SUELLY SATURNINO DE OLIVEIRA
Presidente - 2730060 - LUISA HELENA DE OLIVEIRA LIMA
Externo à Instituição - PRISCILA DE SOUZA AQUINO - UFC
Notícia cadastrada em: 21/01/2019 15:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 17/01/2021 03:12