Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: SEMIRA SELENA LIMA DE SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SEMIRA SELENA LIMA DE SOUSA
DATA: 04/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: on line
TÍTULO: ANÁLISE DA QUALIDADE DO SONO EM HIPERTENSOS ASSISTIDOS NA ATENÇÃO BÁSICA
PALAVRAS-CHAVES: Sono. Apneia. Hipertensão.
PÁGINAS: 61
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

O sono caracteriza-se por ser um processo natural e complexo do organismo, que se intercala com o estado desperto. É dividido em dois ciclos, o NREM (ou não-REM, sem movimento rápido dos olhos) e o REM (de movimento rápido dos olhos), que se forem interrompidos constantemente durante a noite pelos distúrbios do sono (DS), afetará a qualidade de vida e a longo prazo, poderá favorecer o aparecimento de doenças, especialmente as cardiovasculares, como a hipertensão arterial sistêmica. Neste sentido, este trabalho objetivou analisar a qualidade do sono e a ocorrência de distúrbios relacionados ao sono em hipertensos da atenção básica. Trata-se de um estudo transversal, realizado no perímetro urbano da rede básica de saúde do Município de Teresina-PI, que foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Piauí com o parecer 2.379.741. Participaram 390 hipertensos, com média de idade de 60,24 (±12,15) anos, avaliados pelos seguintes instrumentos: Índice de Qualidade do Sono Pittsburgh - PSQI, Escala de Sonolência de Epworth - ESE, Questionário Clínico de Berlim; e o Questionário sociodemográfico, comportamental e clínico. Realizou-se análise univariada, com procedimentos de estatística descritiva; bivariada com o teste qui-quadrado de Pearson; e multivariada com regressão de Poisson. Foram calculadas as Razões de Prevalências (RP), para todas as variáveis que obtiveram um p<0,20 na análise bivariada e significância avaliada pelo teste de Wald. O critério de nulidade foi de p<0,05. A qualidade do sono foi ruim para 73,6% (IC 95%: 69,0-77,7) dos entrevistados, 62,6% (IC 95%: 57,0-67,2) apresentaram risco para SAOS e 42,1% (IC 95%: 37,0-47,0) para sonolência diurna excessiva. Ainda assim, na análise bivariada, não houve associação da qualidade do sono e dos DS com hipertensão. Após o modelo de regressão (p<0,20), as variáveis atividade física regular (OR) = 1,34 (IC95%: 1,02 – 1,75) e dependência alcoólica(OR) = 1,38 (IC95%: 1,03 – 1,83), estiveram associadas estatisticamente a sonolência diurna excessiva (p=0,048) e alto risco para SAOS (p=0,045), respectivamente.Conclui-se que a qualidade do sono de pacientes hipertensos assistidos nas unidades básicas de saúde da cidade de Teresina-PI é ruim, com alta prevalência de distúrbios do sono, associados a ausência de atividade física e possível dependência alcóolica. Assim, torna-se relevante para a qualidade de vida dos hipertensos, a prevenção e detecção precoce dos DS, principalmente com melhor preparo na formação dos profissionais de saúde, conscientização da população sobre a existência desses DS, e com exames de triagem específicos nas unidades básicas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1566432 - FERNANDO FERRAZ DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - Flávia Baggio Nerbass - USP
Interno - 1888794 - JOSE WICTO PEREIRA BORGES
Interno - 1549654 - MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
Notícia cadastrada em: 22/01/2019 15:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 17/01/2021 04:09