Notícias

Banca de DEFESA: PATRÍCIA VIANA CARVALHEDO LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PATRÍCIA VIANA CARVALHEDO LIMA
DATA: 10/04/2019
HORA: 15:30
LOCAL: SALA DE AULA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE E COMUNIDADE
TÍTULO: VIOLÊNCIA CONTRA PROFESSORES EM ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO
PALAVRAS-CHAVES: Violência. Docentes. Escolas. Saúde Pública. Saúde do Trabalhador.
PÁGINAS: 76
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

NTRODUÇÃO: A violência escolar tem se configurado como um importante problema de saúde pública. Neste contexto, o professor é um dos profissionais que está mais exposto a situações que ameaçam sua integridade física e moral. OBJETIVO: Analisar a ocorrência de violência contra professores de escolas públicas e privadas do ensino médio e os fatores associados. METODOLOGIA: Estudo transversal e analítico, realizado com 279 professores do ensino médio em Teresina-PI.Para verificar a associação entre as variáveis foi utilizado o teste qui-quadrado e análise multivariada pelo modelo de regressão de Poisson para estimar as razões de prevalência (RP). Foi adotado nível de significância de 5% e intervalo de confiança de 95% (IC95%). RESULTADOS: A maior parte dos docentes era do sexo masculino (58,1%), com até 40 anos de idade (58,5%) e lecionavam em escolas particulares (50,2%). A média do tempo de docência foi de 13,1 anos. A prevalência de professores que vivenciaram alguma situação de violência foi de 54,8%. Os insultos verbais foram os mais frequentes (39,4%). Encontrou-se associação que indica fator de proteção entre a violência geral e as GREs (Gerência Regional de Ensino) das regiões centro-norte (RP: 0,80; IC95%: 0,68-0,95) e sudeste (RP: 0,86; IC95%: 0,75-0,98). Com relação aos insultos verbais, foi encontrada associação indicativa de fator de risco entre as escolas públicas (RP: 1,112; IC95%: 1,01 - 1,22) e, em contrapartida, verificou-se fator de proteção relacionado a 4ª (RP: 0,87; IC95%: 0,78 - 0,98) e a 21ª GRE (RP: 0,87; IC95%: 0,78 - 0,98). Com relação às situações de assédio sexual, o sexo masculino foi fator de risco (RP bruta: 1,06; IC95%: 1,02 – 1,11), enquanto que o fato de o professor trabalhar em mais de uma escola foi constatado como fator de proteção (RP: 0,92; IC95%: 0,86 - 0,99). CONCLUSÃO: A maior parte dos professores sofreu algum tipo de violência no ambiente escolar, associada a fatores como o sexo, tipo de gestão, localização da escola e a quantidade de locais em que leciona. Os dados encontrados podem facilitar o diagnóstico da situação dos professores no ensino médio, bem como servir de subsídio para a elaboração de um plano de intervenção. Enfatiza-se a necessidade de buscar formas de prevenção e enfrentamento da violência, bem como a capacitação de professores e gestores para que possam gerir os conflitos de modo que esses não se concretizem em atos violentos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1549654 - MALVINA THAIS PACHECO RODRIGUES
Interno - 2058744 - CASSIO EDUARDO SOARES MIRANDA
Interno - 3367697 - MARCIO DENIS MEDEIROS MASCARENHAS
Externo à Instituição - Kelly Leite Maia de Messias - UNIFOR
Notícia cadastrada em: 03/04/2019 15:27
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 17/01/2021 03:38