Últimas Notícias
Banca de DEFESA: GLECIA MARIA DE CARVALHO SOUSA
Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GLECIA MARIA DE CARVALHO SOUSA
DATA: 25/02/2021
HORA: 16:00
LOCAL: ambiente virtual-google meet
TÍTULO: CONFLITOS DE USO DA TERRA EM ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE MARGINAIS (APP’S) DO RIO RIACHÃO, EM SANTO ANTÔNIO DE LISBOA-PI
PALAVRAS-CHAVES: Recursos hídricos. Uso e cobertura das Terras. APP’s Marginais. Usos conflitivos APP’s. Rio Riachão. Santo Antônio de Lisboa - Piauí.
PÁGINAS: 114
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
RESUMO:

A temática Recursos Hídricos é imprescindível para o Brasil e o mundo, dadas as condições da crescente demanda da sociedade e da economia em relação a estes recursos e cuja oferta torna-se insuficiente para atender aos novos padrões sociais e tecnológicos vigentes, em virtude da degradação dos mananciais. A água é um recurso estratégico para a humanidade, de importância ecológica, econômica e social. Basicamente, ela mantém a vida no planeta, sendo o alicerce de grande parte das atividades produtivas da sociedade moderna. Logo, sua proteção e gestão responsável são essenciais para manutenção de sua qualidade e disponibilidade para o ser humano. Nesse sentido, a identificação das áreas de preservação permanente, aliada aos distintos tipos de uso e cobertura das terras, nas mesmas, com vista a análise de conflitos são fundamentais, posto as APP’s (Áreas de Preservação Permanente) constituírem instrumento importante para proteção e recuperação da qualidade hídrica, em especial no meio urbano por concentrar fontes de perturbação e alteração do uso da terra decorrentes das atividades antrópicas desenvolvidas muitas vezes às margens dos cursos d’água. A importância de estudos conduzidos em cursos de água, em especial nas regiões semiáridas, a exemplo do município de Santo Antônio de Lisboa- PI, associado a escassez de pesquisas voltadas a delimitação das APP’s nos cursos d’agua do Piauí, somado a inexistência de trabalhos acadêmicos sobre o referido tema no município de Santo Antônio de Lisboa justifica a realização da pesquisa que busca analisar os conflitos de uso das terras nas áreas de preservação permanente (APP’s) do Rio Riachão no município de Santo Antônio de Lisboa-PI como suporte a iniciativas de educação e planejamento ambiental . Para atingir tal objetivo realizou-se: i) a identificação das áreas de APP’s que margeiam o rio Riachão, ii) o mapeamento dos distintos tipos de uso/cobertura das terras nas APP’s que margeiam o rio Riachão, iii) a identificação das principais formas/processos de degradação na área de estudo e iv) a produção de material educativo, uma cartilha, como forma de alertar e orientar a população acerca da necessidade de conservação da água e proteção das APP’S do rio Riachão. A pesquisa orientou-se a partir da revisão bibliográfica de trabalhos técnicos e científicos já realizados sobre a temática, aliada a pesquisa documental e análise de estudos de caso sobre o tema, empregando a metodologia proposta por Cruz, Lanzanova e Bisognin (2019) que fez uso de técnicas de geoprocessamento, e, por fim, a prática de campo, com visitas in loco para confirmação dos dados mapeados. Os critérios do Código Florestal dispostos na Lei 12.651/2012 nortearam a identificação das APP‘s, e para a delimitação destas usou-se a ferramenta buffer do software Arcgis 10.6. A identificação dos conflitos partiu da sobreposição do mapa dos usos e cobertura das terras e do mapa das APP‘s. Os resultados revelaram que a APP do município é de 30 metros conforme medido o leito regular do rio Riachão de até 10 metros de largura. As classes de uso e cobertura das terras nas APP’s do rio Riachão identificadas foram: Área urbanizada, Áreas antrópicas agrícolas, Vegetação densa, Vegetação menos densa, Desmatamento/solo exposto e Recursos hídricos. Dentre estas, a classe Áreas Antrópicas agrícolas apresentou-se como a mais expressiva (60,46%), seguida da classe Vegetação densa (25,60%) e Área urbanizada (5,80%) revelando uma área com intensa exploração da APP marginal do rio Riachão por atividades agrícolas de subsistência, uma relativa presença da vegetal densa e edificações. Ao todo, a APP de margens do rio Riachão possui 0,88 km². Desta área total de APP 0,25 km² estão preservados e 0,59 km² estão em desacordo com a legislação ambiental. Os conflitos de uso e cobertura das terras revelaram alguns problemas ambientais, dentre eles: as atividades agrícolas desenvolvidas ao longo do seu curso de forma insustentável, o desmatamento das matas ciliares deixando os solo exposto e vulnerável a erosão, a retirada indiscriminada de areia do leito e das margens do rio para a comercialização e as construções/edificações urbana/rural às margens do rio desencadeando respostas que se convertem em processos erosivos e/ou de assoreamento em distintos pontos do rio. Por fim, foi elaborada uma cartilha educativa intitulada: “Rio Riachão: conhecendo para conservar”, com intuito de instigar a educação ambiental no município. O emprego das geotecnologias, bem como o entendimento das relações sociedade-natureza discutidas a partir da abordagem socioambiental forneceram contribuição inestimável para a realização desta pesquisa, que acredita-se signifique um esforço fundamental e pioneiro no sentido do promover a conservação da água no municipio analisado.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1461646 - CLAUDIA MARIA SABOIA DE AQUINO
Interno - 1433032 - RAIMUNDO LENILDE DE ARAUJO
Externo à Instituição - ELISABETH MARY DE CARVALHO BAPTISTA - UESPI
Externo à Instituição - JOSE FALCAO SOBRINHO - UVA

Cadastrada em: 19/01/2021
Mais Notícias
Processos Seletivos Veja abaixo os processos seletivos disponíveis para nosso Programa de Pós-Graduação.
Calendário Fique por dentro dos eventos relacionados ao nosso Programa de Pós-Graduação.
  • 29/09/2020 - 30/09/2020 · Matrícula para o período 2020.2.
  • 29/10/2020 · Início do período letivo 2020.2.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb03.ufpi.br.sigaa 21/01/2021 22:04