Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIO JEFERSON DE SOUSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO JEFERSON DE SOUSA
DATA: 20/04/2021
HORA: 15:00
LOCAL: CCHL - Ambiente remoto
TÍTULO: O jornal A luta e as representações da cidade de Campo Maior ( 1967 - 1979)
PALAVRAS-CHAVES: História. Imprensa. Representação, Campo Maior
PÁGINAS: 133
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História do Brasil
ESPECIALIDADE: História do Brasil República
RESUMO:

O presente estudo analisa a trajetória do jornal A Luta e suas representações da cidade de
Campo Maior durante os anos de 1967 a 1979. O jornal se envolveu em inúmeros debates,
contando com a participação de políticos, estudantes e escritores. Nesse sentido, o jornal A
Luta permite entender as maneiras como determinados grupos construíam as leituras sobre a
sociedade campo-maiorense e como isso está articulado com as relações entre imprensa e
poder. Desta forma, analisamos as principais intervenções urbanas realizadas pelos prefeitos e
governo do Estado, que, ganharam bastante destaque no periódico, como por exemplo, a
construção do Mercado Municipal, Terminal Rodoviário e Monumento aos Heróis do
Jenipapo. Pode-se observar, ao longo da pesquisa, a representação da cidade “desejada” com
as construções arquitetônicas. Também evidenciamos a relação do grupo com suas memórias,
uma vez que as construções conferiam as afetividades e até mesmo as identidades, como pode
ser visto com a construção do monumento. Assim, analisamos a modernização da cidade de
Campo Maior a partir das reportagens e propagandas, que tratam sobre as práticas cotidianas,
questionando em que medida o periódico dava ênfase à energia elétrica e à água encanada.
Como fontes históricas, utilizamos reportagens, colunas de opinião, propagandas e textos
memorialísticos publicados no jornal A Luta, bem como fotografias produzidas no recorte
estudado. O estudo toma como aporte teórico-metodológico a perspectiva da História Cultural
e História da Imprensa a partir da interlocução com Chartier (1998), Pesavento (2004), Abreu
(2008), Luca (2018), Barbosa (2007), Ribeiro (2003), Capelato (2015). Para analisar a relação
entre memória e identidade recorremos os estudos de Le Goff (2003), Seixas (2004),
Benjamin (2012) e Pollak (1992). Para estudar o contexto de modernização da cidade e o
espaço urbano recorreu-se aos estudos de Rezende (2016), Berman (2007), Fontineles (2015),
Nascimento (2007), Castilho (2010), Corrêa (2003) e Carlos (2001).
Palavras-Chave: História. Imprensa. Representação. Campo Maior (PI).

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2335100 - CLAUDIA CRISTINA DA SILVA FONTINELES
Interno - 423663 - FRANCISCO ALCIDES DO NASCIMENTO
Externo à Instituição - TÚLIO HENRIQUE PEREIRA - URCA
Notícia cadastrada em: 27/03/2021 11:36
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 09/12/2022 13:46