Notícias

Banca de DEFESA: ALEISA DE SOUSA CARVALHO ROCHA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALEISA DE SOUSA CARVALHO ROCHA
DATA: 02/07/2021
HORA: 16:00
LOCAL: CCHL - Ambiente remoto
TÍTULO: A ASSISTÊNCIA À SAÚDE E À POBREZA EM PARNAÍBA: UM ESTUDO SOBRE A SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PARNAÍBA ENTRE 1915 A 1930
PALAVRAS-CHAVES: Santa Casa. Pobreza. Modernização. Seca. Doenças.
PÁGINAS: 142
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História do Brasil
ESPECIALIDADE: História do Brasil República
RESUMO:

Esta dissertação teve como objetivo analisar como a Santa Casa de Misericórdia prestou

assistência à saúde e à pobreza na cidade de Parnaíba durante o período de 1915 a 1930.

Para tanto, focamos na relação da elite local com a Santa Casa, com o perfil dos sujeitos

que buscavam a instituição, com o nível de procura por esse órgão e, também, com as

doenças e as terapêuticas realizadas no recorte histórico ao qual nos propomos analisar.

Consideramos, ainda, o processo de reabertura da Santa Casa em 1917, bem como o seu

novo fechamento em 1931, momento em que o antigo prédio foi demolido. Essa

demolição se deu em face de uma nova roupagem da Casa, uma vez que o que se pretendia

era construir um espaço com um maior número dependências. Diante desse cenário,

surgiu a nossa inquietude em tentar entender os motivos pelos quais a Santa Casa

interrompeu os serviços hospitalares em 1915 e o que mudou na sua atuação após a sua

reabertura. O período compreende, também, a reorganização da saúde pública ocorrida

na Primeira República no Brasil. Os problemas de saúde da cidade de Parnaíba, e em

outros espaços urbanos da região no Piauí e fora dele, bem como as questões de

higienização da cidade influenciaram diretamente na criação do hospital da Santa Casa

de Misericórdia de Parnaíba e, também, para o seu funcionamento no século XX. O

discurso dos médicos e da elite relatados nos documentos analisados concedem indícios

que permitem inferir que a Instituição surgiu como meio de controle social, com o

propósito de prestar assistência aos pobres doentes. As fontes utilizadas para a realização

desse trabalho foram as‘Atas das Sessões Administrativas’, os registros de entrada e saída

dos pacientes, os jornais da época, o Código de Postura da Cidade e o Almanaque da

Parnaíba. A pesquisa se fundamenta no que diz respeito aos pressupostos teóricos e

metodológicos, principalmente, nos estudos de Foucault (2015), Lopes (2000) e Sanglard

(2006).


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1783526 - FRANCISCO GLEISON DA COSTA MONTEIRO
Interno - 1551249 - JOHNY SANTANA DE ARAUJO
Externo à Instituição - JOSEANNE ZINGLEARA SOARES MARINHO - UESPI
Notícia cadastrada em: 22/06/2021 11:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 05/12/2022 02:11