Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARIA NATIELLY SOARES CAMPOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARIA NATIELLY SOARES CAMPOS
DATA: 29/08/2022
HORA: 16:00
LOCAL: UFPI -CCHL
TÍTULO: ENTRE A HISTORIOGRAFIA PIAUIENSE E OS RASTROS: DISCUSSÕES BIBLIOGRÁFICAS PARA SE PENSAR O LITORAL PIAUIENSE E A PRATICAGEM DA BARRA DA TUTÓIA (1901 – 1910)
PALAVRAS-CHAVES: História. Piauí. Litoral Piauiense. Tutóia. Discursos Bibliográficos.
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História do Brasil
ESPECIALIDADE: História do Brasil República
RESUMO:

Os debates e narrativas bibliográficas sobre o litoral do Piauí e a praticagem da barra da
Tutóia, um dos principais braços do rio Parnaíba, nos desperta curiosidade de buscar
compreender e analisar como se desenvolvem os bastidores de discussões sobre o litoral do
Piauí, desde as suas primeiras abordagens na historiografia, analisando como foram realizadas
as divisões das capitanias correspondentes aos territórios hoje consolidados como Maranhão,
Piauí e Ceará e como a historiografia piauiense aborda as temáticas dessas divisões
territoriais, em especial a divisão do litoral piauiense. Pensando nessas questões a presente
pesquisa objetiva analisar as discussões presentes na historiografia piauiense, bem como os
rastros bibliográficos indispensáveis para se pensar o litoral do Piauí e a praticagem da barra
da Tutóia. Tais debates estão alçados em suportes de pesquisas que compreendem, em sua
maior parte, o recorte temporal de 1901 a 1910, mas que deságuam em narrativas que
reverberam até os tempos atuais. Uma das principais ferramentas a serem utilizadas é o uso da
memória escrita, importante campo para análise desses rastros deixados pela historia do Piauí,
e que sinalizam a presença de debates sobre o litígio territorial piauiense e como esses autores
percebem essas discussões em seu tempo. Observaremos o Piauí desde as suas primeiras
ocupações, as notícias sobre o litoral, bem como os primeiros mapas e cartas sobre o rio
Parnaíba e suas bocas, as movimentações portuárias e a presença crescente do comércio
marítimo. Observando ainda como o Piauí movimentava o comércio marítimo e como a
barra da Tutóia, do estado do Maranhão, passou a ser reivindicada como pertencente ao
território piauiense. Utilizaremos a metodologia qualitativa. Serão apresentadas análises
bibliográficas de grandes pesquisadores do campo da historiografia piauiense, como Odilon
Nunes (2007), ), Bugyja Britto (1976), Jornal Nortista (1901) Antonino Freire (1907),
Almanack da Parnahyba (1924), Pe. Cláudio Melo (1985), bem como suportes metodológicos
do campo da memória, como Jacy Alves de Seixas (2004) Michael Pollack (1989) entre
outros.

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1783526 - FRANCISCO GLEISON DA COSTA MONTEIRO
Interno - 2060918 - JOAO PAULO CHARRONE
Presidente - 1551249 - JOHNY SANTANA DE ARAUJO
Notícia cadastrada em: 01/08/2022 09:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 27/11/2022 02:33