Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA SILVA
DATA: 12/08/2022
HORA: 15:00
LOCAL: UFPI -CCHL
TÍTULO: A CRIAÇÃO E A ESTRUTURAÇÃO DO ESTADO IMPERIAL BRASILEIRO E A PROVÍNCIA DO PIAUÍ: Administração de Manuel de Sousa Martins, 1823-1843
PALAVRAS-CHAVES: História. Estado imperial. Elites. Província. Sousa Martins.
PÁGINAS: 124
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História do Brasil
ESPECIALIDADE: História do Brasil Império
RESUMO:

O presente texto visa discutir a construção do Estado Imperial brasileiro e a relação com a Província do Piauí nos anos 1823 a 1843. Nesse período, buscamos analisar o governo de Manuel de Sousa Martins e como o mesmo corrobora para a estruturação do Estado. A tese reflete a contribuição do Piauí na formação e afirmação do Estado Imperial brasileiro durante o período em que o Brigadeiro e depois Barão e Visconde da Parnaíba estivera a frente da administração provincial. Buscou-se compreender como as elites locais se articulam no poder nos primeiros anos pós-emancipação política e participam da construção do Estado imperial no Brasil. As fontes primárias utilizadas foram ofícios e correspondências de Manuel de Sousa Martins com a Corte situada no Rio de Janeiro no período pós independência. Utilizaram-se ainda documentos relacionados à Confederação do Equador na província piauiense disponíveis nas obras de Ulysses Brandão e Abdias Neves, além da Constituição de 1824. De suma importância foram as leis e decisões do império do Brasil e as Atas do Conselho de Província do Piauí de 1825 a 1834, alguns jornais oitocentistas, sendo o principal deles O telegrafo, dentre outros; todos analisados a luz da historiografia. A partir do movimento da independência no Piauí, da Confederação do Equador e da Balaiada no Piauí, construiu-se um debate em torno da formação do Estado imperial brasileiro e o governo de Sousa Martins, observando as divergências e rupturas políticas que ocorreram no período. O aporte teórico e metodológico utilizado na pesquisa ocorre com Araújo (2015), Dolhnikoff (2005) Rémond (2003), Certeau (1982), Winock (2003), Rosanvallon (2010), entre outros.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1783526 - FRANCISCO GLEISON DA COSTA MONTEIRO
Interno - 1551249 - JOHNY SANTANA DE ARAUJO
Presidente - 2174309 - PEDRO VILARINHO CASTELO BRANCO
Interno - 2167352 - TERESINHA DE JESUS MESQUITA QUEIROZ
Notícia cadastrada em: 04/08/2022 18:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 02/12/2022 17:37