Notícias

Banca de DEFESA: MILLENA DE CASSIA SOUSA E SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MILLENA DE CASSIA SOUSA E SILVA
DATA: 15/03/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Banca Remota
TÍTULO: Impressão Criogênica de Scaffolds de GelMA Reforçados por Microfibras
PALAVRAS-CHAVES: Fibras; Scaffolds; Impressão Criogênica
PÁGINAS: 68
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
SUBÁREA: Materiais Não-Metálicos
ESPECIALIDADE: Polímeros, Aplicações
RESUMO:

Devido ao número de pessoas acometidas por doenças que atingem a cartilagem sem tratamento ou solução efetiva, torna-se mais necessário a busca por opções menos invasivas e mais duradouras ao paciente. Scaffolds promovem sustentação e podem estimular o crescimento celular do meio no qual estão inseridos, entretanto geralmente suas boas propriedades biológicas carecem de resistência mecânica. A utilização de fibras visando melhorar a rigidez desses materiais pode ser uma solução para esses desafios. Foram produzidas fibras por duas técnicas distintas a fim de determinar qual seria mais eficaz em fornecer resistência a estrutura, logo, PLA aditivado com LAP produziram fibras por rotofiação e eletrofiação, uma vez que a presença a nanoargila na matriz polimérica auxiliaria na sua adesão e melhoria das propriedades mecânicas. As fibras produzidas foram inseridas em scaffolds produzidos por GelMA através de impressão 3D criogênica, que sintetiza bem tecidos moles, mas que busca melhores propriedades ao ser impresso criogenicamente. As propriedades foram avaliadas através de testes como: microscopias ótica e de varredura para determinar a morfologia, e porosidade das fibras e medir o diâmetro médio; ângulo de contato; caracterizações químicas como e Espectroscopia na Região do Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR) e Difração de Raios-X (DRX). Os ensaios mecânicos demonstraram que as fibras mais resistentes por rotofiação foi o grupo PLA/LAP 2.5%, enquanto o grupo eletrofiado que apresentou maior resistência a tração foi PLA/LAP 5% alcançando em torno de 123,6 kPA e 80Mpa respectivamente. Os scaffolds reforçados por fibras também apresentaram melhores desempenho quando comparado com scaffolds apenas de GelMA sem reforço, chegando a suportar uma tensão de 70Mpa com deformação em torno de 80%. Os grupos de fibras com melhores resistência a tração foram selecionados para reforçar scaffolds produzidos em temperaturas criogênica e novamente a resistência apresentou um aumento significativo, onde o grupo reforçado por fibras rotofiadas PLA/LAP 2.5% apresentou uma resistência a compressão em torno de 1115 kPA e o grupo com de fibras eletrofiadas PLA/LAP 5% alcançou em torno de 940kPA. Dessa forma é possível concluir que a utilização de fibras como reforço teve um bom resultado e que o grupo com melhores propriedades tanto de resistência quanto de adesão e porosidade foi PLA/LAP 2,5% de fibras rotofiadas, e que a impressão criogênica eleva significativamente a resistência do scaffold, demandando mais investigações sobre a mesma.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1397472 - ANDERSON DE OLIVEIRA LOBO
Interno - 1570906 - BARTOLOMEU CRUZ VIANA NETO
Externo à Instituição - FRANCILIO DE CARVALHO OLIVEIRA - UNINOVAFAPI
Notícia cadastrada em: 13/03/2024 08:47
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.sigaa 16/06/2024 05:48