Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOSÉ VÍTOR MENEZES LACERDA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSÉ VÍTOR MENEZES LACERDA
DATA: 04/11/2019
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do Núcleo de Pesquisas em Plantas Medicinais- Bloco 15
TÍTULO: AVALIAÇÃO DO EFEITO ANTIAGREGANTE DO FARNESOL LIVRE E COMPLEXADO À β-CICLODEXTRINA
PALAVRAS-CHAVES: Farnesol, β-ciclodextrina, antiagregante plaquetário
PÁGINAS: 72
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
SUBÁREA: Farmacologia Cardiorenal
RESUMO:

A agregação plaquetária constitui um processo essencial para a manutenção da homeostase. No entanto, quando associada a fatores de riscos pode resultar em alterações endoteliais que culminando na formação de trombos, podendo resultar em quadros como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular encefálico. Os terpenos são produtos naturais formados a partir da união de duas ou mais unidades de isopreno. O farnesol é um sesquiterpeno encontrado naturalmente em óleos essenciais de diversas plantas, como capim-limão, camomila, milho e citronela.  O objetivo deste estudo foi avaliar o potencial antiagregante plaquetário do farnesol livre e complexo à β-ciclodextrina. Utilizou-se ratas Wistar (Rattusnorvegicus) com peso entre 250-300g provenientes do Biotério Central da Universidade Federal do Piauí (CEUA sob Nº 549-19). Após anestesiadas, foi realizada a coleta de sangue em tubos contendo citrato de sódio a 3,2% (9:1), seguida da centrifugação para obtenção do plasma rico em plaquetas (PRP) (1650rpm por 10min) e do plasma pobre em plaquetas (PPP) (3300rpm por 15min), seguida da contagem de plaquetas em câmara de Neubauer para a realização dos estudos de atividade antiagregante plaquetária, sendo considerado um PRP quando a quantidade de plaquetas/ mLfoi≥ a 250.000. Alíquotas de PRP (300 µL) foram acondicionadas em cubetas siliconizadase analisadas emagregômetro(EasyAgreg). As substâncias testes foram pré-incubadas por 5 minutos antes da adição do ADP (20µM). A agregação plaquetária foi expressa em percentual de agregação para o agonista ADP. Os resultados obtidos neste estudo foram expressos como média ± erro padrão da média (e.p.m). Utilizou-se o teste t de Student não pareado ou ANOVA one-way seguido de teste de Tukey, p<0,05 considerado significante (GraphPad Prism versão 6.0).  Os resultados demonstram que ofarnesol livre promoveu uma agregação plaquetária espontânea de ± 10% e o farnesol complexado promoveu uma agregação espontânea de ± 4%, comparando-se com o ADP (controle positivo) (± 70%). Na avaliação do efeito antiagregante do farnesol livre (10µM), observou que o mesmo inibiu a agregação induzida pela adição de 20µM de ADP em (± 35%), enquanto o farnesol complexado com β-CD (10µM)) promoveu uma inibição em torno de (± 40%), quando comparados ao controle (ADP). Na investigação do mecanismo de ação antiagretante do farnesol, incubou-se as preparaçõespor 5 min antes da adição do agente agregante, com calmidazolium (10µM), um inibidor da calmodulina, ou com nitroprussiato de sódio (NPS) (10µM), um doador de óxido nítrico (NO). Os resultados demonstram que, com a inibição da calmodulina não houve um aumento da inibição da agregação plaquetária do farnesol livre (±25%), no entanto, farnesol complexado com β-CD promoveu uma potencialização da inibição da agregação plaquetária (±10%), ambos em relação ao controle (p<0,05). O farnesol livre (± 5%) e o farnesol complexado com β-CD (± 20%), tiveram seus efeitos inibitórios potencializados na presença do NPS, quando comparados ao controle (p < 0,05). Conclui-se que o farnesol livre e o complexado com β-CD provocam moderada agregação espontânea, porém ambos são capazes de inibir a agregação induzida por ADP; no entanto apenas o farnesol complexado à β-CD parece ter a calmodulina envolvida no seu o mecanismo de ação antiagregante plaquetário; além disso, os resultados demonstram que ambos, farnesol livre e complexado à β-CD, parecem ter a via do NO envolvida no seu mecanismo de açãoantiagregante.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2617696 - ALDEIDIA PEREIRA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1570922 - KATIA BONFIM LEITE DE MOURA SERVULO
Interno - 2457259 - MOISES TOLENTINO BENTO DA SILVA
Notícia cadastrada em: 25/10/2019 15:29
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 05/12/2019 16:54