Área de Concentração
Mestrado
ANTROPOLOGIA
Linhas Pesquisa :
› MEMÓRIA E TERRITORIALIDADES
ANTROPOLOGIA- Os processos identitários relativos ao que convencionalmente usou-se denominar de ?culturas tradicionais? (ritualidades, oralidades, localidades e ruralidades e suas territorializações identitárias) são alguns dos objetos de estudo dessa linha.
› PATRIMÔNIO, PAISAGEM E CULTURA MATERIAL
ANTROPOLOGIA- Esta linha de pesquisa contempla três categorias que possuem pontos de contato entre si e com as áreas das Ciências Sociais e Ciências Humanas. Essas categorias fornecem amplas possibilidades de estudos com resultados úteis à ciência e à sociedade para entendimento das relações humanas com seus artefatos, técnicas, paisagens e o reconhecimento que fazem sobre si. O Patrimônio contempla as ações de (re)conhecimento (legislação e sua aplicação, preservação, salvaguarda, educação patrimonial etc.) de artefatos. paisagens e demais referências culturais. Inclui, portanto estudos em torno do próprio conceito e as reflexões sobre patrimônio em suas múltiplas dimensões e conexões (tangível, intangível, natural); as relações entre coleções, narrativas e trajetórias sociais; a criação de novas formas de colecionamento e patrimonialização; conservação e preservação do patrimônio; fotografia, cinema, documentário e filme etnográfico; políticas públicas, culturas políticas e políticas culturais; técnicas corporais, ofícios, modos de fazer e saberes locais; relação entre patrimônio cultural e turismo; entre outras. Paisagem, no sentido do espaço culturalmente apropriado, é muito mais que um lugar, local ou quadro da natureza: constitui produto contínuo de tensão de forças naturais e culturais. Palimpsestos que precisam ser lidos à luz de diversas intervenções humanas consideradas abstratas ou não. Entende-se cultura material como porções materializadas do espaço e do tempo apropriadas pelas sociedades humanas pretéritas e contemporâneas. Os artefatos em si, diante do processo e o resultado dessas apropriações e suas associações contextuais, ampliam um vasto campo para as interpretações específicas e interdisciplinares. Como também suas localizações (sítios, comunidades, museus etc.). Abrange temas relativos à constituição da sociodiversidade e produção, consumo e descarte da cultura material
› MEMÓRIA, PATRIMÔNIO E TERRITORIALIDADE
ANTROPOLOGIA- A Antropologia vem sendo interpelada pela crescente importância do interesse pelos processos identitários e patrimonialização relativos ao que convencionalmente usou-se denominar de “culturas tradicionais” (ritualidades, oralidades, patrimônio, localidades e ruralidades e suas territorializações identitárias). São abordados, nessa Linha de Pesquisa, temas como: a constituição da memória social; as particularidades dos modos de vida rurais; os movimentos sociais e culturais rurais e os conflitos no campo; as migrações e suas consequências culturais; as narrativas de sertão e seus mitos; os rituais, as festas, os dramas sociais e as performances; as relações entre sociedade e meio-ambiente; a sustentabilidade; a inserção de povos tradicionais na economia de mercado; as neo-localizações, a re-elaboração identitaria fase mudanças sociais ou impactos ambientais e a etnohistória das populações tradicionais. Contempla, ainda, estudos e ações sobre patrimônio e patrimonizalização no que diz respeitos ao (re)conhecimento (legislação e sua aplicação, preservação, salvaguarda, educação patrimonial etc.) nas suas múltiplas dimensões e conexões (tangível, intangível, natural). Finalmente, considera os estudos sobre paisagem, no sentido do espaço culturalmente apropriado e como produto contínuo de tensão de forças naturais e culturais, incluindo os impactos decorrentes de grandes obras de infra-estrutura.
› MARCADORES IDENTITÁRIOS NA CONTEMPORANEIDADE
ANTROPOLOGIA- Esta Linha de Pesquisa compreende as investigações empíricas, as reflexões teóricas e as produções metodológicas direcionadas para o estudo das dinâmicas culturais que estão na base dos processos de construção identitária no contexto da contemporaneidade. Na era das identidades”, a elaboração social e a formulação cultural de diferenças ligadas à idade e aos efeitos do tempo inscritos no corpo, às relações de gênero, à organização dos grupos familiares e de parentesco, à vivência das sexualidades, às formas religiosas, à sistemática da raça/cor e das políticas de etnicidade, à configuração das (inter)subjetividades, dentre tantos outros marcadores identitários ou marcadores sociais da diferença, tornam-se interessantes e poderosos objetos de estudos antropológicos. Eis o projeto desta Linha de Pesquisa: gerar subsídios (teóricos e metodológicos) para a compreensão das lógicas complexas das relações de poder e de sentido que sustentam a contemporaneidade. São abordados, nesta Linha de Pesquisa, temas como: as corporalidades, a saúde e a doença; os grupos de idade e as gerações; a construção social das sexualidades e das homossexualidades; as relações de gênero; a organização social, o parentesco e a família; as relações raciais e a etnicidade; a religiosidade; a arte e a imagem; e a percepção do patrimônio cultural.
ARQUEOLOGIA
Linhas Pesquisa :
› CULTURA MATERIAL E CONSERVAÇÃO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS
ARQUEOLOGIA- Os vestígios arqueológicos (material lítico, cerâmico, ósseo, pinturas e gravuras, ruínas, etc) são marcadores materiais que possibilitam o entendimento da dinâmica cultural dos grupos humanos em diferentes épocas, sendo estes o objeto dessa linha.
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb02.ufpi.br.instancia1 12/12/2019 18:22