Notícias

Banca de DEFESA: DILSON CRISTINO DA COSTA REIS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DILSON CRISTINO DA COSTA REIS
DATA: 11/12/2015
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório da Pós Graduação em Ciência dos Materiais
TÍTULO:

BIONANOCOMPÓSITOS DE POLI (3-HIDROXIBUTIRATO-CO-3-HIDROXIVALERATO) E VERMICULITA: ESTUDO DA BIODEGRADAÇÃO E DO POTENCIAL DE APLICAÇÃO COMO EMBALAGEM ALIMENTÍCIA


PALAVRAS-CHAVES:

polímeros biodegradáveis, PHBV, biodegradação, embalagens alimentícias,


PÁGINAS: 127
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
SUBÁREA: Materiais Não-Metálicos
ESPECIALIDADE: Materiais Conjugados Não-Metálicos
RESUMO:

Vários estudos já demonstraram um amplo campo de aplicações da nanotecnologia principalmente na área de ciência e tecnologia de polímeros. Por serem materiais práticos e descartáveis, o seu acúmulo pós-consumo ocasionou o início de inúmeros problemas ambientais. Assim, os polímeros biodegradáveis atualmente estudados visam a substituição dos polímeros sintéticos em diversas aplicações. Apresentam algumas limitações como o auto custo de produção, porém uma alternativa viável é a incorporação de nanocarga, como a argila, à matriz polimérica para a produção de bionanocompósitos. Desta forma, o objetivo deste estudo foi desenvolver, através de intercalação por fusão, bionanocompósitos de poli(3-hidroxibutirato-co-3-hidroxivalerato) – PHBV e argila vermiculita na forma natural e organofilizada, caracterizar estes sistemas e o polímero puro quanto a estrutura e morfologia, estudar sua biodegradabilidade e avaliar o potencial que os mesmos apresentam para aplicação como embalagem alimentícia. Os bionanocompósitos foram produzidos na forma de filmes e em seguida caracterizados por meio das técnicas de espectroscopia no infravermelho por transformada de Fourier (FTIR), difração de raios-X (DRX), microscopia eletrônica de varredura (MEV), microscopia óptica (MO), termogravimetria (TG) e calorimetria exploratória diferencial (DSC). Os sistemas também foram submetidos ao teste Sturm e teste de migração. Estes bionanocompósitos apresentaram boa intercalação entre a argila e o polímero, assim como do sal quaternário de amônio na argila segundo resultados de FTIR e DRX, corroborados por MEV e MO. Pouca diferença na estabilidade térmica dos sistemas em relação ao polímero puro foram observados por TG e DSC. Foi evidenciada uma elevada biodegradabilidade dos sistemas semelhante a do PHBV puro e observou-se um resultado convincente para seu potencial de aplicação como embalagem alimentícia. Desta forma, os bionanocompósitos elaborados podem ser uma alternativa a substituição de polímeros sintéticos na indústria como embalagens alimentícias, sendo necessário ainda estudos mais específicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1720808 - RENATA BARBOSA
Interno - 1331130 - TATIANNY SOARES ALVES
Externo à Instituição - LAURA HECKER DE CARVALHO - UFCG
Notícia cadastrada em: 16/12/2015 09:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 04/12/2020 20:57