Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIO BRUNO DE VASCONCELOS LEITÃO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO BRUNO DE VASCONCELOS LEITÃO
DATA: 11/11/2016
HORA: 14:30
LOCAL: Auditório do PPG em Ciência dos Materiais/UFPI
TÍTULO: DEPOSIÇÃO DE ÓXIDOS E NITRETOS DE MOLIBDÊNIO, E ÓXIDOS DE TUNGSTÊNIO POR PLASMA COM GAIOLA CATÓDICA SOBRE AÇO INOXIDÁVEL AISI 316
PALAVRAS-CHAVES: Gaiola catódica, filmes finos, molibdênio, aço inoxidável AISI 316.
PÁGINAS: 96
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
SUBÁREA: Metalurgia de Transformação
ESPECIALIDADE: Tratamentos Térmicos, Mecânicos e Químicos
RESUMO:

Nossa sociedade tem conhecido progressos científico-tecnológicos no campo da ciência e da engenharia dos materiais. Neste sentido, muitas pesquisas têm sido desenvolvidas para a síntese e melhoramento das propriedades de novos materiais que atendam às nossas demandas. A deposição de filmes finos pelo método de deposição física de vapor (PVD) através do plasma é amplamente estudada para aplicações tecnológicas e desperta interesses por apresentar melhorias nas propriedades mecânicas, elétricas, químicas, tribológicas, dentre outras. Os métodos de deposição por plasma, em especial o que utiliza a técnica de gaiola catódica, vem demonstrando bastante vantagens em relação aos processos convencionais, pois apresenta uma uniformidade da camada depositada em peças de geometrias complexas submetidas a estes tratamentos superficiais. No presente trabalho, amostras de aço inoxidável austenítico AISI 316 são submetidas ao tratamento termoquímico de deposição por plasma, com a utilização de uma gaiola catódica de molibdênio, visando melhorar as propriedades mecânicas na região superficial das mesmas. As deposições são realizadas sob fluxo em volume de uma mistura gasosa de N2, O2, H2 e Argônio, sob diferentes combinações, para uma temperatura de sputtering de 350 ºC e pressão de 1,5 Torr. O tempo de tratamento é fixado em cinco horas para todos os experimentos. Após o tratamento de deposição, é possível verificar a formação de óxidos e nitretos de molibdênio, e óxidos de tungstênio no filme formado sobre o substrato. A caracterização microestrutural das camadas são avaliadas através de microscopia eletrônica de varredura (MEV), espectroscopia de energia dispersiva (EDS) e as fases presentes por difração de raios-x (DRX) e espectroscopia raman. Testes de microdureza vickers avaliam o endurecimento dos revestimentos e apresentam os valores de microdureza na superfície das amostras. Por fim, os resultados obtidos comprovam a deposição via plasma dos filmes finos e a melhora na dureza superficial do aço inoxidável AISI 316 enriquecido com molibdênio e/ou tungstênio.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2056226 - CLEÂNIO DA LUZ LIMA
Interno - 1570906 - BARTOLOMEU CRUZ VIANA NETO
Interno - 6276167 - ROMULO RIBEIRO MAGALHÃES DE SOUSA
Externo ao Programa - 1720015 - GARDENIA DE SOUSA PINHEIRO
Externo à Instituição - THÉRCIO HENRIQUE DE CARVALHO COSTA - UFRN
Notícia cadastrada em: 02/11/2016 09:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 30/11/2020 17:56