Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CAROLINA LEMOS DE MORAIS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINA LEMOS DE MORAIS
DATA: 25/09/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Banca Remota via Webconferência
TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE FILMES A BASE DE POLI(ÁCIDO LÁCTICO) (PLA) E PROTEÍNA ISOLADA DE SOJA PARA APLICAÇÕES EM EMBALAGENS ALIMENTÍCIAS
PALAVRAS-CHAVES: poli (ácido-láctico), proteína isolada de soja, embalagem, filmes.
PÁGINAS: 35
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
SUBÁREA: Materiais Não-Metálicos
ESPECIALIDADE: Materiais Conjugados Não-Metálicos
RESUMO:

Com o agravamento dos problemas ambientas causadas pela má gestão de resíduos sólidos, e em especial de materiais plásticos, os polímeros biodegradáveis vêm recebendo destaque por ampliar as possibilidades de minimizar o impacto ambiental. E diante da demanda urgente por produtos sustentáveis o presente trabalho teve como objetivo desenvolver filmes a base de poli (ácido láctico) (PLA), proteína isolada de soja (PSI) e glicerol, por meio do processo de extrusão plana como potencial substitutos de polímeros derivados do petróleo aplicados em embalagens alimentícias. Os filmes foram produzidos em cinco diferentes formulações:  a matriz pura de PLA como filme controle; PLA com 3 e 5 % da proteína isolada de soja; PLA com 3 e 5 % da proteína isolada de soja com o acréscimo de 1,5 % de glicerol. Os filmes foram caracterizados via termogravimetria, espectroscopia de infravermelho por transformada de Fourier, espessura, transmitância por UV-vis, MEV, ângulo de contato e propriedade mecânica. A análise térmica indicou que a incorporação da proteína isolada de soja e do glicerol reduziu a temperatura de degradação dos filmes, mantendo o mesmo perfil de perda de massa. O resultado de FTIR indicou que os sistemas não apresentaram interações químicas entre seus componentes. A espessura dos filmes foi alterada em função da adição do glicerol. Por UV-Vis foi possível observar que a espessura dos filmes associada aos componentes afetou a transparência dos filmes, reduzindo a transmitância. As micrografias revelaram superfícies lisas para o filme de PLA puro, e, em contrapartida, os filmes contendo proteína de soja apresentaram a formação de aglomerados na superfície, mesmo com a inserção do glicerol. O PLA puro pode ser considerado hidrofóbico, e os demais sistemas foram classificados como hidrofílicos pelo ângulo de contato. Mecanicamente, sob tração, os sistemas com proteína isolada de soja apresentaram um comportamento inferior à matriz pura frente a resistência a tração e elongação, tendo o sistema PLAg3% os piores resultados provavelmente em função da ação do glicerol como antiplastificante.  Todos os sistemas apresentaram maior rigidez em comparação com a matriz pura, com destaque para o sistema com maior percentual de proteína de soja. O balanço de todas estas propriedades aponta para a viabilidade de utilização dos sistemas em embalagens alimentícias.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AMANDA DANTAS DE OLIVEIRA - UFPel
Interno - 2199134 - MARCILIA PINHEIRO DA COSTA
Interno - 1720808 - RENATA BARBOSA
Presidente - 1331130 - TATIANNY SOARES ALVES
Notícia cadastrada em: 10/09/2020 16:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 01/12/2020 05:53