Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANTONIO ZILVERLAN GERMANO MATOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIO ZILVERLAN GERMANO MATOS
DATA: 24/11/2023
HORA: 14:30
LOCAL: SALA VIRTUAL
TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE COMPÓSITOS POLIMÉRICOS A PARTIR DE POLIPROPILENO RECICLADO (PPR) E FIBRA DE MILHO VISANDO A APLICAÇÃO COMO TUBETES FLORESTAIS
PALAVRAS-CHAVES: Polipropileno, Fibras de Milho, Compósitos Poliméricos, Tubetes Florestais
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
SUBÁREA: Materiais Não-Metálicos
ESPECIALIDADE: Polímeros, Aplicações
RESUMO:

A utilização de plásticos no setor agrícola e para fins florestais é uma prática amplamente adotada em muitas partes do mundo devido aos diversos benefícios que oferece. No entanto, também há preocupações em relação aos impactos ambientais associados ao uso de plásticos nesses setores. O desenvolvimento de tubetes florestais feitos de compósitos com adição de material de reforço lignocelulósico é uma abordagem inovadora que busca criar soluções mais sustentáveis para a produção de mudas florestais. Este trabalho teve como objetivo desenvolver compósitos poliméricos de polipropileno reprocessado (PPr), reforçados com fibra da palha de milho (FPM), para potencial uso como tubetes florestais. Foram desenvolvidos neste trabalho quatro formulações diferentes, sendo duas formulações sem adição do material de reforço (polipropileno após um ciclo de processamento (PPr1x) e polipropileno após três ciclos de processamento (PPr3x) e as outras duas com adição de 3% (PPr3x3) e 5% (PPr3x5) do material de reforço (pó da palha do milho) utilizando a matriz PPr3x. Um material comercial de polipropileno foi adquirido e corpos de prova foram obtidos com a finalidade de comparar as propriedades mecânicas dos sistemas desenvolvidos com tal material. Os sistemas foram processados em extrusora monorosca, enquanto que os corpos de prova foram moldados por injeção. As amostras foram caracterizadas por Microscopia Óptica (MO), Espectroscopia de Absorção no Infravermelho (FTIR), Difração de Raios-X (DRX) e avaliados quanto a absorção de água e quanto as propriedades mecânicas. Os resultados de MO mostraram que o material de reforço foi bem distribuído na matriz polimérica. A FTIR apresentou os picos característicos presentes nas FPM e no PPr. A análise por DRX mostrou que a incorporação de fibra vegetal não influenciou os padrões de DRX do polipropileno. Os compósitos apresentaram menor absorção de umidade em comparação com o produto comercial e também exibiram propriedades mecânicas de tração superiores.  Portanto, os resultados mostraram que os compósitos são viáveis para a produção de tubetes florestais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1331130 - TATIANNY SOARES ALVES
Interno - 1229211 - MARCOS GUILHERME CARVALHO BRAULIO BARBOSA
Interno - 1720808 - RENATA BARBOSA
Externo à Instituição - DANIELA DE LOURDES ANJOS COUTINHO SIMOES ANDRADE - UFRPE
Notícia cadastrada em: 10/11/2023 14:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 20/06/2024 21:14