Notícias

Banca de DEFESA: THIAGO DE SOUZA LOPES ARAUJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THIAGO DE SOUZA LOPES ARAUJO
DATA: 08/01/2016
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de Reuniões/ Campus Ministro Reis Velloso
TÍTULO:
ATIVIDADE ANTIDIARREICA DA GOMA DO CAJUEIRO, UM HETEROPOLISSACARÍDEO COMPLEXO EXTRAÍDO DO EXSUDATO DE Anacardium occidentale L., EM ROEDORES

PALAVRAS-CHAVES:

Polissacarídeo, Anacardiaceae, diarreia, cólera, óleo de rícino.


PÁGINAS: 111
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Diarreia é uma condição em que há um aumento da defecação, afetando pessoas em países desenvolvidos e em desenvolvimento, onde milhões de indivíduos morrem a cada ano devido a esta doença. Tendo isso em mente, a Organização Mundial da Saúde passou a incentivar estudos sobre a diarreia, que incluem pesquisas sobre medicina popular à base de plantas, dentre estas, Anacardium occidentale L. (Anacardiaceae), comumente conhecida como cajueiro. Nativa da América tropical, extratos de suas folhas, casca, raízes, líquido da castanha e exsudato têm sido tradicionalmente utilizados no nordeste do Brasil para o tratamento de várias doenças. O exsudato do cajueiro (goma do cajueiro) tem sido explorado por habitantes locais desde tempos antigos para várias aplicações, incluindo o tratamento de doenças diarreicas. Sendo assim, o objetivo do presente estudo foi avaliar a atividade antidiarreica da goma do cajueiro (GC), um heteropolissacarídeo complexo extraído do exsudato do cajueiro, usando diferentes modelos. Inicialmente, a atividade antidiarreica da GC foi avaliada no modelo de diarreia aguda e enteropooling induzido por óleo de rícino. Assim, ratos (Wistar) (150-180 g) foram pré-tratados com a GC (30, 60, e 90 mg/kg, v.o.), e depois de 1 h receberam óleo de rícino (10 ml/kg, v.o.). Os animais foram então colocados em gaiolas forradas com papel absorvente e observados durante 3 h para a presença de diarreia. Em seguida, os animais foram eutanasiados, o intestino delgado do piloro ao ceco foi isolado e o volume do conteúdo intestinal foi medido em tubo graduado. Na diarreia induzida por PGE2, os animais foram pré-tratados com a GC (60 mg/kg, v.o.) e imediatamente após a administração, PGE2 foi administrada (100 µg/kg, v.o.). Após 30 minutos os amimais foram eutanasiados e o volume do conteúdo intestinal foi mensurado. A goma do cajueiro foi avaliada também no trânsito gastrointestinal utilizando carvão ativado. Camundongos (Swiss) (25-30 g) receberam óleo de rícino para produzir diarreia e 1 h depois foram tratados com a GC (60 mg/kg, v.o.). Após 1 h, todos os animais receberam 0,2 ml de carvão ativado por via oral. Vinte minutos mais tarde, os animais foram eutanasiados e a distância percorrida pelo carvão no intestino a partir do piloro até o ceco foi medida. A participação opióide e colinérgica da GC no trânsito gastrointestinal foi também investigada usando naloxona (2 mg/kg, s.c.; antagonista opióide) e betanecol (3 mg/kg, i.p.; agonista colinérgico), respectivamente. Para o estudo do esvaziamento gástrico, camundongos foram tratados com a GC (60 mg/kg, v.o.) e 1 h depois receberam uma solução glicosada (5%) contendo vermelho de fenol (0,75 mg/ml). Após 20 minutos os animais foram eutanasiados e o esvaziamento gástrico foi mensurado por espectrofotometria. Além disso, o efeito da GC (60 mg/kg, v.o.) na diarreia secretora foi investigado utilizando o modelo de secreção de fluido em alças intestinais isoladas de camundongos vivos tratadas com a toxina da cólera. A GC foi também avaliada quanto à sua capacidade em estimular a absorção de fluidos em alças intestinais isoladas e interagir com receptores GM1 utilizando ELISA. A GC (30, 60, e 90 mg/kg, v.o.) mostrou significativo (P<0,05-0,01) efeito antidiarreico na diarreia induzida por óleo de rícino em ratos, inibindo a quantidade total de fezes e fezes diarreicas. A dose de 60 mg/kg da GC exibiu uma excelente atividade antidiarreica, reduzindo significativamente (P<0,05) a severidade da diarreia (escores de diarreia) e o volume de secreção de fluido intestinal (enteropooling) no modelo induzido por óleo de rícino e PGE2, além de reduzir a distância percorrida pelo carvão ativado no modelo de trânsito gastrintestinal através da interação com receptores opióides e colinérgicos. No entanto a GC não teve nenhuma influência no esvaziamento gástrico, sugerindo que seu efeito na redução do trânsito gastrointestinal ocorreu apenas em nível de intestino. Na diarreia secretora induzida pela toxina da cólera, a GC (60 mg/kg) inibiu significativamente a secreção de fluido intestinal e a perda de íons Cl- por competição de ligação à receptores GM1. Em conclusão, nossos resultados indicam que a GC possui atividade antidiarreica em modelos de diarreia aguda, inflamatória e secretora, o que poderia justificar o seu uso tradicional no tratamento da diarreia no nordeste do Brasil. A atividade antidiarreica da GC pode ser explicada pela sua capacidade em inibir a motilidade intestinal e, assim, reduzir a acumulação de fluido intestinal e inibir a secreção de íons cloreto e água para o lúmen do intestino.

 


 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Presidente - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Externo ao Programa - 2231318 - JOSE DELANO BARRETO MARINHO FILHO
Notícia cadastrada em: 16/12/2015 11:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 03:12