Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANTÔNIA CARLA DE JESUS OLIVEIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTÔNIA CARLA DE JESUS OLIVEIRA
DATA: 06/02/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Reuniões/ CMRV
TÍTULO: GOMA DE CAJUEIRO FTALADA PARA APLICAÇÕES COMO BIOMATERIAL NO DESENVOLVIMENTO DE NANOPARTICULAS: METÁLICAS E POLIMÉRICAS
PALAVRAS-CHAVES: Goma do cajueiro, modificação hidrofóbica, nanoparticulas de prata e nanoparticulas com naproxeno.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A goma do cajueiro (GC) é um heteropolissacarídeo obtido do exsudado do Anacardium ocidentale L., que se encontra em crescente utilização nas áreas biotecnológica, principalmente na indústria farmacêutica, pois apresenta estrutura versátil de ser modificada para aplicação em dispositivos nanobiomédico. As modificações químicas envolvem a introdução de grupos funcionais na estrutura do polissacarídeo, as quais possibilitam a obtenção de novos biomateriais com novas propriedades. Este trabalho tem por objetivo promover reação de modificação na goma do cajueiro utilizando o anidrido ftálico (AF), está reação não faz uso de solvente e tem por finalidade de obter novos biomateriais com caráter hidrofóbico para o desenvolvimento de nanopartículas. A reação ocorre com a obtenção de quatro derivados variando a proporção de CG/AF 1: 2 e 1:5 na razão (m/m) e o tempo de reação 20 e 40 minutos para cada proporção, o AF é fundido a temperatura de 130°C, em seguida a GC é adicionada e o tempo é cronometrado, ao final da reação os derivados são precipitados em agua ultra pura e lavado até a remoção dos subprodutos e liofilizado. Os derivados obtidos foram caracterizados por: espectroscopia na região de infravermelho, análise elementar e analise termogravimétrica. O derivado GCF4 foi utilizado como agente redutor e estabilizador para obtenção de nanoparticulas de prata (AgNPs), sintetizadas por duas rotas via síntese verde e com uso do redutor químico borohidreto de sódio, as AgNPs foram caracterizadas por Uv-vis, analise de rastreamento de nanoparticulas (NTA), potencial zeta, espectrometria ótica de emissão atômica com plasma indutivamente acoplado (ICP EOS) e microscopia de força atômica. Foi determinado a ação antimicrobianas das AgNPs por meio do teste de concentração inibitória mínima (CIM) contra as bactérias Staphylococcus aureus ATCC 29213 e Escherichia coli ATCC 25922 e contra os fungos Trichophyton interdigitale (amostra clínica 73826), Fonsecaea pedrosoi ATCC 46428 e Sporothrix schenckii ATCC 201679. O derivado GCF1 foi utilizado para a produção de nanoparticulas poliméricas (NPs) carregadas com o fármaco naproxeno de sódio (AINES) utilizando a técnica de diálise. As NPs sem e com o fármaco foram caracterizadas por espalhamento de luz dinâmico obtendo o tamanho hidrodinâmico, índice de polidispersão (PDI) e potencial zeta. Foi avaliada a estabilidade coloidal do sistema por um período de 5 meses e o sistema mostrou-se estável não havendo mudanças significativas no tamanho, PDI e potencial zeta. Também foi avaliado a eficiência de incorporação e encapsulação das nanoparticulas, indicando que o sistema é promissor para ser utilizado na entrega de drogas. 

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1718303 - DURCILENE ALVES DA SILVA
Interno - 1789383 - JEFFERSON SOARES DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2147346 - TATIANE CAROLINE DABOIT
Notícia cadastrada em: 01/02/2017 10:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 03:05