Notícias

Banca de DEFESA: RAQUEL MÁGDA LIMA ARAÚJO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RAQUEL MÁGDA LIMA ARAÚJO
DATA: 29/03/2017
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Reuniões/ CMRV
TÍTULO: ESTUDO DE ASSOCIAÇÃO ENTRE O POLIMORFISMO DE DUPLICAÇÃO DE 120 pb NA REGIÃO PROMOTORA DO GENE DO RECEPTOR D4 DE DOPAMINA (DRD4) E A DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL EM UMA POPULAÇÃO DO NORDESTE DO BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: variações genéticas, sistema dopaminérgico, alcoolismo.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O álcool é uma droga psicotrópica que tem propriedades contribuintes no processo de dependência. O seu uso exagerado gera a dependência alcoólica (DA), uma enfermidade que atinge negativamente a sociedade. Se tratando de uma doença com herança multifatorial, a dependência do álcool tem influência tanto de fatores ambientais como fatores genéticos. Estudos demostram um papel fundamental do sistema dopaminérgico com abuso de drogas, inclusive do álcool, com intensificação em torno do gene DRD4, codificador do receptor D4 de dopamina. Considerado um dos genes humanos com maior número de polimorfismos, a duplicação 120 pb na região promotora do gene DRD4 é o grande foco deste estudo juntamente com o alcoolismo.Estudos mostram que esse polimorfismo pode influenciar a taxa de transcrição do gene. Diante deste potencial, o presente trabalho tem como objetivo avaliar se o polimorfismo de 120 pb no gene DRD4 tem associação com a susceptibilidade ou dependência do álcool em uma população masculina no Nordeste do Brasil. Tratando-se de um estudo caso-controle, foram genotipados pela técnica de PCR, seguida de eletroforese em gel de agarose, as amostras de 143 alcoolistas e 146 controles. As frequências genotípicas e alélicas foram submetidas aos testes do qui-quadrado, exato de Fisher e Odds Ratio com p<0,05. A distribuição dos genótipos e dos alelos do polimorfismo de duplicação de 120 pb do gene DRD4 não diferiu significativamente entre alcoolistas e controles, sugerindo uma associação negativa com a suscetibilidade a dependência do álcool. Nossos achados revelaram que os alcoolistas possuem menor nível de escolaridade em comparação aos controles. Em nosso estudo, a associação entre alcoolistas e o hábito tabagista foi significativa (<0,0001). Além disso, é possível observar que a DA tem um caráter familiar, visto que, familiares dos que fazem uso abusivo do álcool têm uma frequência significativamente maior (< 0,0001) de dependência do que em parentes de não dependentes do álcool. Estudos adicionais são necessários para a confirmação desses resultados e o esclarecimento do papel do gene DRD4 no risco da DA e na determinação dos fatores que influenciam na sua gênese.

 


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1640496 - ANNA CAROLINA TOLEDO DA CUNHA PEREIRA
Externo ao Programa - 1553556 - FABIO JOSE NASCIMENTO MOTTA
Presidente - 1552610 - RENATA CANALLE
Notícia cadastrada em: 14/03/2017 11:24
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 03:13