Notícias

Banca de DEFESA: ALLINE FREITAS DE SOUZA GAUDIE LEY

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ALLINE FREITAS DE SOUZA GAUDIE LEY
DATA: 25/03/2013
HORA: 14:30
LOCAL: Sala de reuniões
TÍTULO:

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E DE UTILIZAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS E OUTROS MEDICAMENTOS POR IDOSOS PORTADORES DE SÍNDROMES DEMENCIAIS NO NORTE DO PIAUÍ.


PALAVRAS-CHAVES:

Idosos, demência, medicamentos, antibióticos, epidemiologia.


PÁGINAS: 48
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Biologia Geral
RESUMO:

O envelhecimento tem sido alvo de muitas preocupações e questionamentos, posto que muitas vezes os anos acrescidos à vida não podem ser vividos com qualidade, por conta das doenças crônico-degenerativas, frequentemente presentes na população idosa Este presente estudo teve como objetivo descrever o perfil epidemiológico e de utilização de antibióticos e outros medicamentos por idosos portadores de síndrome demencial no norte do Piauí. Um questionário padrão foi preenchido com os dados constantes nos prontuários dos pacientes selecionados: maiores de 60 anos, portadores de síndrome demencial pelos critérios do DSM-IV, procedentes da cidade de Parnaíba-PI, atendidos em um ambulatório especializado em geriatria no período de novembro/2011 a dezembro/2012. Estatística descritiva foi mostrada através das médias (+ desvio padrão) para as variáveis contínuas e das percentagens dos respectivos totais para as variáveis ditas categóricas. A idade média da população do estudo foi de 82,9 + 6,5 anos. A maioria (75,3%) pertencia ao sexo feminino, era viúva (60,3%), de pele clara (78,1%), católica (91,8%), possuía menos de oito anos de escolaridade (60,9%), renda familiar mensal entre 2 e 5 salários mínimos (66,1%) e morava com  3 ou 4 pessoas na mesma casa (50%). Quase metade dos pacientes foi classificada em estágio inicial de demência. Mais de 85% dos pacientes apresentava algum grau de dependência de terceiros, sendo que a maioria contava com cuidadores familiares (66,6%). A média de consultas realizadas foi de 6,7 + 6,3. A quantidade de anos de acompanhamento foi em média de 2,23 + 1,76. O número médio de medicamentos em uso na primeira e na última consultas foi, respectivamente 3,89 + 2,44 e 5,53 + 2,52. As classes de medicamentos mais utilizadas foram: anti-hipertensivos, anticolinesterásicos, memantina, benzodiazepínicos. Mais da metade (75,3%) utilizou alguma medicação imprópria para idosos, tendo sido o clonazepam a mais frequente. 63% usaram pelo menos um antibiótico durante o período de acompanhamento. As principais justificativas foram infecção do trato urinário e respiratório. A classe de antimicrobianos mais administrada foi a de fluorquinolonas (36,63%). Concluiu-se que a utilização de medicamentos pelos portadores de demência foi alta. São preocupantes as elevadas quantidades de antibióticos e medicamentos inadequados, pelo risco de efeitos adversos indesejáveis e seleção de cepas de bactérias multirresistentes, sendo necessária a conscientização de todas as pessoas envolvidas no cuidado desta população.

 

 

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1640496 - ANNA CAROLINA TOLEDO DA CUNHA PEREIRA
Externo ao Programa - 1750086 - DANIEL FERNANDO PEREIRA VASCONCELOS
Interno - 1772764 - GUSTAVO PORTELA FERREIRA
Notícia cadastrada em: 14/03/2013 16:37
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 03:09