Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GABRIELLA PACHECO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIELLA PACHECO
DATA: 28/06/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório Oeste
TÍTULO: ENVOLVIMENTO DO RECEPTOR DE POTENCIAL TRANSITÓRIO VANILÓIDE 4 (TRPV4) NA LESÃO GÁSTRICA INDUZIDA POR ETANOL, EM CAMUNDONGOS
PALAVRAS-CHAVES: TRPV4; vermelho de rutênio; GSK2193874; GSK1016790A; dano gástrico
PÁGINAS: 60
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O álcool é uma das substâncias mais comumente consumida de modo abusivo no mundo e seu consumo excessivo é causador de enormes prejuízos, como alta mortalidade e desenvolvimento de úlceras gástricas caracterizadas por
edema na mucosa, esfoliação celular e infiltração de células inflamatórias. O Receptor de Potencial Transitório Vanilóide 4 (TRPV4) é um canal de íons, presente em diferentes tecidos, inclusive no epitélio gástrico, e a sua ativação já demonstrou associação com o desenvolvimento de diversas patologias como o desenvolvimento de inflamação intestinal. Desta forma, este trabalho teve como objetivo avaliar a possível participação do TRPV4 no desenvolvimento de úlceras gástricas. Para isso, foram utilizados modelos animais de indução de lesão gástrica por etanol a partir da utilização de camundongos swiss pesando entre 25 e 30g, em grupos de aproximadamente 5 animais. O grupo controle negativo recebeu apenas a administração de solução salina (0,9%) e o controle positivo apenas a administração de etanol a 50% ou 30%. Em dois grupos experimentais foram administrados antagonistas do TRPV4 associados ao etanol a 50% (0,5ml/25g, v.o), onde um grupo recebeu Vermelho de rutênio (doses: 0,03, 0,1 ou 0,3 mg/kg, i.p) e o outro grupo GSK2193874 (doses: 0,1, 0,3 e 0,9 mg/kg, i.p). Além disso, um grupo de animais recebeu a administração de GSK1016790A (0,9 mg/kg, i.p), , agonista do TRPV4, e logo após etanol a 30% (0,5ml/25g). Uma hora após as administrações os animais foram eutanasiados e foi realizada a análise macroscópica da mucosa gástrica, sendo a melhor dose dos antagonistas de TRPV4 selecionadas para as demais análises. Amostras de estômago foram retiradas para a realização da avaliação histopatológica, dosagens de malondialdeído (MDA), superóxido dismutase (SOD) e glutationa reduzida (GSH). Como resultado, evidenciamos que o bloqueio de TRPV4 promoveu a gastroproteção a nível macro e microscópico no modelo de lesão induzida pelo etanol e levou a um aumento significativo (p<0,05) na dosagem de SOD e GSH e redução das concentrações de MDA (p<0,05) na mucosa gástrica, demonstrando uma diminuição do estresse oxidativo causado pelo álcool. Por outro lado, a utilização do agonista de TRPV4 demostrou, por meio das análises macroscópicas uma exacerbação da área de lesão (p<0,05) quando comparado ao grupo que recebeu etanol a 30%. Com isso podemos sugerir que a ativação de TRPV4 está envolvida no processo de lesão gástrica induzida por etanol, e que a utilização de bloqueadores de TRPV4 podem ser futuramente uma alternativa terapêutica para o tratamento de úlceras gástricas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Interno - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Externo ao Programa - 1637767 - MARCELO DE CARVALHO FILGUEIRAS
Notícia cadastrada em: 10/06/2019 16:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 03:13