Notícias

Banca de DEFESA: GABRIELLA PACHECO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIELLA PACHECO
DATA: 13/12/2019
HORA: 08:00
LOCAL: Sala de Aula do Mestrado
TÍTULO: ENVOLVIMENTO DO RECEPTOR DE POTENCIAL TRANSITÓRIO VANILÓIDE 4 (TRPV4) NA LESÃO GÁSTRICA INDUZIDA POR ETANOL, EM CAMUNDONGOS.
PALAVRAS-CHAVES: TRPV4; vermelho de rutênio; GSK2193874; GSK1016790A; dano gástrico.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Os receptores de potencial transitório (TRP) formam uma superfamília implicada em uma variedade de funções celulares. Dentre eles, podemos destacar os receptores de potencial transitório vanilóide (TRPV), que já foram associados ao desenvolvimento de inúmeras patologias, entre eles distúrbios gástricos, como úlceras ocasionadas pelo uso de indometacina, ácido acético e etanol. O receptor de potencial transitório vanilóide 4 (TRPV4) faz parte da família de receptores TRPV, é morfologicamente e funcionalmente expresso no epitélio gástrico e também já foi associado a distúrbios do trato gastrointestinal. No entanto, existem poucos estudos que demonstrem a associação desse receptor com o desenvolvimento de úlceras gástricas. Levando em consideração que na literatura científica há inúmeros estudos que associam os receptores TRPV com a formação de úlceras gástricas e levando em conta que não há estudos que correlacionem o TRPV4 com essa patologia, o nosso estudo teve como objetivo avaliar a possível participação desse receptor no desenvolvimento de úlceras gástricas. Para isso, foram utilizados modelos animais de indução de lesão gástrica por etanol a partir da utilização de camundongos swiss pesando entre 25 e 30g, em grupos de aproximadamente 5 animais. O grupo controle negativo recebeu apenas a administração de solução salina (0,9%) e o controle positivo apenas a administração de etanol a 50% ou 30%. Em dois grupos experimentais foram administrados antagonistas do TRPV4 associados ao etanol a 50% (0,5ml/25g, v.o), onde um grupo recebeu Vermelho de rutênio (doses: 0,03, 0,1 ou 0,3 mg/kg, i.p), um antagonista inespecífico, e o outro grupo GSK2193874(doses: 0,1, 0,3 e 0,9 mg/kg, i.p), um antagonista específico. Além disso, um grupo de animais recebeu a administração de GSK1016790A (0,9 mg/kg, i.p), agonista do TRPV4, e logo após etanol a 30% (0,5ml/25g). Uma hora após as administrações os animais foram eutanasiados, foi realizada um laparatomia para retirada do estômago que foi aberto ao redor da curvatura maior, estirado e fotografado para análise macroscópica da mucosa gástrica, que foi realizada pelo programa Image J. Após essa análise a melhor dose dos antagonistas de TRPV4 foram selecionadas para as demais testes. Amostras de estômago foram retiradas para a realização da avaliação histopatológica, microscopia de força atômica, imunohistoquímica e análise da expressão de mRNA, bem como para as dosagens de malondialdeído (MDA), superóxido dismutase (SOD), glutationa reduzida (GSH), além da realização do experimento de muco gástrico. Como resultado, evidenciamos que o bloqueio de TRPV4 promoveu a gastroproteção a nível macro e microscópico no modelo de lesão induzida pelo etanol, levando a diminuição dos parâmetros hemorragia, perda de células e edema, além de aumentar significativamente (p<0,05) as concentrações de SOD e GSH e reduzir as concentrações de MDA (p<0,05) na mucosa gástrica, demonstrando uma diminuição do estresse oxidativo causado pelo álcool. Os resultados demonstraram um auto da marcação e expressão de TRPV4 notecido lesionado e aumento da quantidade de muco aderido a parede nos grupos onde utilizou-se os antagonistas. Por outro lado, a utilização do agonista de TRPV4 demostrou, por meio das análises macroscópicas uma exacerbação da área de lesão (p<0,05) quando comparado ao grupo que recebeu etanol a 30%. Com isso podemos sugerir que a ativação de TRPV4 está envolvida no processo de lesão gástrica induzida por etanol, e que a utilização de bloqueadores de TRPV4 pode ser futuramente uma alternativa terapêutica para o tratamento de úlceras gástricas.

 


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680593 - JAND VENES ROLIM MEDEIROS
Interno - 2140923 - ANA JERSIA ARAUJO
Externo ao Programa - 1637767 - MARCELO DE CARVALHO FILGUEIRAS
Notícia cadastrada em: 06/12/2019 08:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 01:27