Notícias

Banca de DEFESA: LIZETH MERCEDES MOLINA HERRERA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LIZETH MERCEDES MOLINA HERRERA
DATA: 13/03/2020
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Aula do Mestrado
TÍTULO: Prospecção de atividade biossurfactante e bioemulsificante de bacterias de solo de manguezal e seus metabolitos.
PALAVRAS-CHAVES: Microrganismos. Surfactantes Biológicos. Consorcio. Hidrocarbonetos
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Outra(s)
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

O grande impacto ambiental causado pela contaminação por derramamento de petróleo e  seus derivados despertou grande interesse em fontes naturais que podem ser utilizadas na remediação de solos e águas afetadas. Os microrganismos, como fonte principal de recurso biotecnológico, tornaram-se uma ótima alternativa para a produção de biossurfactantes e bioemulsificantes, os quais tem histórico de atividades bioativas. Tivemos como objetivo realizar uma prospecção de bactérias oriundas de solo de manguezal que sofra influência da radiação solar e que seja impactado com a presença de hidrocarbonetos para avaliar a resistência e produção de biossurfactantes das cepas e seus metabolitos. As bactérias e seus líquidos metabólicos foram submetidos para: teste do colapso da gota, teste de Parafilm M, deslocamento de óleo, índice, estabilidade e atividade de emulsificação com querosene e óleo mineral como fontes de carbono. Um total de 82 cepas foram isoladas de dois pontos de coleta do solo de manguezal no Porto dos Tatus (Ilha Grande-Piauí), denominados P1 e P2. A partir do crescimento bacteriano em ágar Plate Count Agar (PCA) foi realizada a contagem e observação da morfologia das colônias para isolamento da maior diversidade bacteriana produtora de biossurfactantes. Em seguida os isolados foram caracterizados mediante a técnica coloração de Gram. A contagem bacteriana nos pontos 1 e 2 foi de 4,6 x 10^4 UFC/g e 6,2 x 10^2 UFC/g de solo, respectivamente. Com relação à característica morfotintorial, todas as cepas são bastonetes Gram positivos. Para atividade de resistência a radiação UV, foram testadas 47 cepas, das quais, 15 cepas do ponto um (P1) apresentaram resistência a 5 e 15 min. de exposição a UV e 10 cepas do ponto dois (P2) apresentaram resistência aos 5 e 15 min. de exposição. Para os testes do colapso da gota e índice de emulsificação foram testadas 37 bactérias (20 do P1 e 17 do P2) que foram crescidas em caldo Bushnell-Hass salino (BH salino) acrescido de 2% de querosene e 2% de óleo mineral. As cepas testadas apresentaram potencial de crescimento na presença do querosene e óleo mineral. Para os testes do colapso da gota com querosene 15 cepas deram positivo e 17 deram positivo com o liquido metabólico. Para o óleo mineral como fonte de carbono 16 deram positivo (11 do P1 e 5 do P2) e com o liquido metabólico 4 deram positivo (3 do P1 e 1 do P2). Para o índice de emulsificação se testaram os líquidos metabólicos, 7 cepas apresentaram resultados acima do 40% com querosene e 12 cepas apresentaram resultados acima do 40%) com óleo mineral.

Foram escolhidas 8 cepas que apresentaram os melhores resultados, 4 foram identificadas como Bacillus sp., e as oito foram testadas para atividade de emulsificação, estabilidade de emulsificação, teste de Parafilm M e deslocamento de óleo. Observamos que todas apresentam resistência a radiação UV, seis apresentam potencial emulsificante com algumas caraterísticas de biossurfactante e duas apresentam potencial biossurfactante com pouca atividade bioemulsificante. Para melhorar a capacidade das cepas, foi realizado um teste de antagonismo pela técnica Cross Streak Plate, foram formados três consórcios com as cepas que conseguiram se aproximar e todos os testes foram repetidos. Observou-se que dois dos consórcios conseguem melhorar as atividades de emulsificação e surfactante, apresentando maiores resultados que as bactérias separadamente.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 995.992.603-68 - ALYNE RODRIGUES DE ARAUJO - UFPI
Externo à Instituição - JESSICA LUCINDA SALDANHA DA SILVA - UFC
Presidente - 841.003.203-10 - LEIZ MARIA COSTA VERAS - UFPI
Notícia cadastrada em: 06/03/2020 16:25
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb05.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 01:31