Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: FERNANDA OLIVEIRA SOUSA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDA OLIVEIRA SOUSA
DATA: 07/11/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório Curso de Farmácia/ CMPP
TÍTULO:

Obtenção e caracterização de géis a base de amido do mesocarpo do coco babaçu (Orbignya phalerata Mart) como suporte para vetorização de moléculas biologicamente ativas


PALAVRAS-CHAVES:

Amido, Babaçu, Caracterização, Gel, Orbignya phalerata Mart.


PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

Introdução: O Babaçu (Orbignya phalerata Mart.) é uma árvore de palma da família das palmaceas Arecaceae. O fruto do babaçu é um coco composto de três partes, sendo 11% de epicarpo, 23% de mesocarpo, 59% de endocarpo e amêndoa 7%. Por ser rico em amido (50 a 60%), estuda-se esse material na função de principal adjuvante farmacêutico. O amido é o polímero de reserva de energia na maioria das plantas e as suas características mudam entre as fontes. Objetivos: Sabendo-se do potencial biológico dessa palmeira e da escassez de estudos que comprovem sua eficiência na indústria de cosméticos e fármacos, este trabalho busca obter e caracterizar géis a base do amido de mesocarpo do coco babaçu, para utilizá-lo como suporte para vetorização de moléculas biologicamente ativas. Visando o desenvolvimento tecnológico industrial desse material vegetal e trazendo perspectivas para a valorização das riquezas regionais, o que poderá ajudar diretamente as comunidades nordestinas que usam como sua principal fonte de sustento a extração do coco. Metodologia: O amido contido no mesocarpo foi extraído por peneiração em malhas finas entre 0,42 - 0,125 mm, lavado com água deionizada, metabissulfito de sódio 5 g/L, NaOH a 0,05 mol/L, álcool etílico absoluto, por fim seco em estufa. Para a análise da viscosidade, temperatura de gelificação, em triplicata, utilizou-se o equipamento Rapid Visco Analyser (RVA), o gel foi obtido através do cozimento até 95° C com agitação em excesso de água, por 15 min. Para obter os reogramas (Rheo-Stress 1, Thermo-Haake) dos géis, a taxa de cisalhamento aplicada variou entre 0.001 e 700 1/s, e a temperatura foi mantida constante a 50°C. Uma geometria de placas paralelas de 35 mm de diâmetro e um gap de 1 mm foi usado para todos os  experimentos. Para comparação dos efeitos da purificação nas características do gel, quatro amostras foram analisadas: mesocarpo bruto de babaçu, sem nenhum tratamento (A1), mesocarpo tamisado (A2), amido de mesocarpo purificado (A3) e amido farmacêutico (A4). Para a análise das imagens o microscópio óptico Eclipse 50i, Nikon, Tokio, Japan foi utilizado. Resultados e discussão: O pico de viscosidade foi 1113,6 cP, a 83 °C para A1, 1511,0 cP a 82,4 °C para A2, 1443,7 cP a 80,7 °C para A3 e 79,8 cP a 71,3 °C para A4. Os géis formados apresentaram comportamento não newtoniano, pseudoplástico. As análises de imagem mostraram grânulos do amido do babaçu (O. phalerata) com formas esféricas, onde foi verificada a presença do hilo central da amilopectina, e poucos danificados. Conclusões: Todos os géis formados apresentaram comportamento não newtoniano, pseudoplástico. Os géis de mesocarpo de babaçu apresentaram pico de viscosidade muito superior ao amido farmacêutico, o que demonstra sua promissora aplicação como espessantes. Mais testes precisam ser realizados a fim de comprovar seus benefícios fisiológicos na interação medicamentosa.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 423287 - JOSE RIBEIRO DOS SANTOS JUNIOR
Presidente - 1512631 - LIVIO CESAR CUNHA NUNES
Notícia cadastrada em: 03/11/2014 16:48
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb06.ufpi.br.instancia1 06/03/2021 03:12