Integração com a Graduação

As interfaces do Programa com a graduação se traduzem:

 

1. Inclusão de discentes da graduação em projetos em desenvolvimento no mestrado, que têm a participação de docentes, discentes e colaboradores internos e externos do Programa:  

 

a) Iniciação Científica - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC). Os discentes são jovens pesquisadores de vários cursos, com projetos dos docentes-discentes do mestrado. A considerar a museologia e inovação social, os discentes-docentes (graduação-pós) desenvolvem pesquisas de impacto nas comunidades, a exemplo o turismo de base comunitária na Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba. Realizam diagnósticos de realidade sociocultural do território, bem como pesquisas bibliográficas e de acervos em suportes variados, dispersos em arquivos e instituições públicas e privadas, atividades que permitem o contato direto dos jovens pesquisadores com a investigação documental, nomeadamente com relatórios de políticas públicas elaborados por gestores municipais, estaduais e federais; além dessa natureza de pesquisa, os discentes adentraram uma Unidade de Conservação - APA e RESEX Delta do Parnaíba sob a gestão do ICMBio. Desenvolvem pesquisas sociais aplicadas com o uso da História Oral e Etnografia. Realizaram registros audiovisuais do patrimônio imaterial, educação ambiental, interpretação e educação patrimônio cultural  Portanto, ao participarem de projetos, seminários da Pós-graduação, de eventos | reuniões científicas, como organizadores ou coautores, conhecem os procedimentos de pesquisa, teoria e método, da museologia e inovação social, que lhes permitem compreender a natureza interdisciplinar da museologia e suas interfaces com outras campos do conhecimento, com especial relevo às ciências da arte e do patrimônio; têm acesso a instrumentos de pesquisa, inventários do patrimônio imaterial, gestão e planejamento de atividades no campo do patrimônio cultural, com ênfase em uma das regiões mais promissoras na atualidade, a exemplo, o turismo cultural de base comunitária, ao turismo de vivência e experiência. 

 

Destacamos que um desses alunos, hoje, formado, é superintendente de cultura no Meio Norte do Brasil, o que afirma o compromisso de formação profissional do Programa.

 

 

b) O Programa oportuniza a formação teórico-prática de alunos de graduação das Áreas das Ciências Sociais Aplicadas e, igualmente, das Áreas das Ciências da Natureza, com destaque para a Biologia, nomeadamente de alunos de Iniciação Científica com investigações associadas às coleções da Fauna e Flora da APA Delta do Parnaíba nas coleções respectivas no CMRV da UFPI, agora UFDPar.

 

O acervo do Herbário e Coleção Zoológica são repositórios da biodiversidade do Delta do Parnaíba, que funcionam no Campus Ministro Reis Velloso (CMRV) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), no município de Parnaíba. Oferecem estágios a alunos de graduação, mestrado e doutorado. O Herbário é base para pesquisas de empresas das áreas da bioquímica, farmácia e fitoterápicos; pesquisadores e docentes das áreas de botânica, bioquímica, biotecnologia, farmácia. As coleções são ricas e complexas, espaço de estágio para os mestrandos em Museologia, que estão a estudar os acervos para programarem exposições e ações educativas e culturais com públicos da UFPI, Escola de Aplicação, escolas públicas e privadas da região. O Herbário Delta do Parnaíba embasa o reconhecimento da flora do Piauí e regiões circunvizinhas, preservação de dados sobre a vegetação, fomento de pesquisa na área de botânicas e afins, formação de pessoal quanto ao ensino de botânica e treinamento, especialmente na área de taxonomia vegetal. Além disto, irradia informações de espécimes locais para a comunidade não científica, nesse particular abre-se o campo de ação do Mestrado em Museologia, para dinâmica de atividades interacionistas quanto à preservação junto às instituições de ensino da região. A equipe do Herbário recebe alunos de ensino fundamental e médio. As visitas abrangem a coleção científica, coleção didática e horto de plantas medicinais.

 

 

Discentes e docentes da graduação e pós participam de reuniões de acompanhamento sistemático das pesquisas documental e de campo, leitura e escrita dos textos e incentivo à produção para publicação em anais de eventos científicos e em revistas que tenham como temas, problemas e abordagens relacionadas aos estudos que estão a realizar.

 

 

c) A Empresa Júnior de Turismo é uma das parceiras do Programa na elaboração e execução de projetos como a Feira do Patrimônio, Semana Nacional de Museus, Primavera dos Museus, Congresso Internacional Artes, Patrimônio e Museologia.

 

A Feira do Patrimônio esteve entre os projetos finalistas na Categoria III - Iniciativas de excelência em promoção do Patrimônio Cultural, que visa valorizar e promover iniciativas referenciais que objetivem comunicar, interpretar, divulgar, difundir, e educar para o patrimônio cultural, material e/ou imaterial, para as atuais gerações da 30ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade (2017), do MinC - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que tem por objetivo estimular o envolvimento da sociedade civil na busca pela salvaguarda e proteção dos bens culturais do país. 

 

d) O Programa de Educação Tutorial - PET Turismo, formado por docentes e discentes dos cursos de Turismo, Ciências Econômicas e Engenharia de Pesca. O PET está sob a coordenação de docente vinculada ao Mestrado. Tem sede no CMRV da UFPI e está vinculado à Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PREXC). 

 

O Mestrado desenvolve estudos, ações e publicações com esse Programa, nomeadamente no que refere a projetos associados ao Turismo, Patrimônio Cultural e Sustentabilidade, uma das Linhas de Pesquisa do Mestrado. Destacamos o Projeto Água, Educação e Cidadania no Município de Ilha Grande – Piauí financiado pela ANA-Capes.

 

O projeto foi executado através do Programa de Apoio à Produção de Material Didático para a Educação Básica - Projeto Água - EDITAL ANA-CAPES/DEB Nº 18/2015. O projeto investigou e registrou as vivências de populações ribeirinhas e praieiras do Delta do Parnaíba; contou ainda com os parceiros: Escolas Estaduais Jonas Correria e Marocas Lima, Prefeitura Municipal Ilha Grande por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Meio Ambiente – SEDETUMA. 

 

Ao acessar um celular, tablet ou computador, professor e alunos podem visualizar o documentário Povos das Águas, dedicado às comunidades ribeirinhas e praieiras do Delta do Parnaíba. O documentário foi produzido para fins didáticos e serve de ferramenta para abordar a vida cotidiana dos habitantes de uma região de fronteira entre os estados do Piauí e Maranhão. Por entre gestos, palavras e sons é possível conhecer a rica e complexa paisagem cultural do território que integra uma Área de Proteção Ambiental. Produzido com o apoio da Agência Nacional de Águas em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Ensino Superior | Ministério da Educação | Brasil | DEB nº 18/2015. Disponível em: https://capacitacao.ead.unesp.br/dspace/handle/ana/320?mode=full

 

 

Produção Textual | material didático. Disponível em:

https://capacitacao.ead.unesp.br/dspace/handle/ana/321

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia14 06/12/2019 08:08