Experiências na Formação

O Programa, por sua natureza - Mestrado Profissional, exige que o trabalho final apresentado pelos discentes seja, além de um relatório, produtos e serviços, resultados de um diagnóstico inicial em um território no qual desejam intervir. Partem de um problema identificado e que seja preciso solucionar. Para tanto, há a necessidade de pensarmos uma concepção e desenvolvimento de uma pesquisa-ação com base teórica e metodológica. 

 

A experiência dos docentes do Programa, profissionais com tradição em estudos e intervenções no campo da museologia, museografia, gestão de museus, patrimônio cultural, arquitetura e urbanismo, antropologia, sociologia, educação, meio ambiente, sustentabilidade, audiovisual, inventários do patrimônio material e imaterial, lhes permitem orientar os discentes a realizem estudos e intervenções nesses campos em uma perspectiva transdisciplinar, ampliando discussões que envolvem a produção histórica dos lugares, saberes, fazeres, que indaguem sobre a complexidade dos diálogos interdisciplinares, que impõem questões conceituais e de método.

 

Ao longo desses 04 anos, 2015 a 2018, destacamos, a título de exemplo, apenas algumas experiências materializadas em projetos de natureza ação, que consideramos inovadores e desafiadores no processo de formação do mestrado profissional:

 

 

·     Na Escola de Aplicação da Universidade Federal do Piauí – estudos e intervenções de natureza experimental de educação e didática do patrimônio cultural como forma de sensibilização de professores e alunos do 5º Ano para conhecerem e reconhecerem o rico e complexo patrimônio cultural da cidade de Parnaíba. A área de estudo e abrangência foi o Conjunto Porto das Barcas, nomeadamente, uma das 07 (sete) áreas que formam o Conjunto Histórico e Paisagístico tombado pelo Iphan em 2008. Trabalho de natureza experimental no ensino-aprendizagem, com foco em atividades e ações de educação e interpretação patrimonial a considerar uma cidade patrimônio nacional. Os produtos e serviços foram elaborados como material didático de Educação e Interpretação Patrimonial para a rede pública de ensino fundamental do município de Parnaíba;

·     No Museu do Vaqueiro, no município de Alto Longá - estudos e intervenções materializados em diagnóstico e documentação museológica, desenho exposições para o museu, ações educativas e culturais, o que incluiu: inventário da Celebração do Reisado, documentário etnográfico e uma exposição de curta duração. A exposição sobre o Reisado e as atividades de educação e ação cultural incluíram uma programação da exposição “Reis e Caretas”. Houve uma intervenção direta no museu, o equipamento foi revitalizado com a participação das pessoas do lugar, que passaram de não-públicos a usuários do museu. O trabalho oferece visibilidade ao equipamento, permitindo que seja efetivada a sua função social, tornando-se um lugar privilegiado de fomento à educação não formal, cidadania e cultura, de maneira agradável e lúdica; 

·     Museu do Trem, no município de Parnaíba, localizado em uma das 07 (sete) áreas tombadas em 2008, no complexo da estação ferroviária. O Museu foi criado com a missão de preservar a memória do período de desenvolvimento da ferrovia no litoral do Piauí. Tem sob sua guarda objetos, recolhidos de acervo de particulares, mas não havia identificação e documentação, desde a sua inauguração em 2002. Dentre os objetos está a Locomotiva 29, único bem registrado como patrimônio ferroviário brasileiro. O desafio – o equipamento não atendia às diversas recomendações do Instituto Brasileiro de Museus - Ibram e normas da lei 11904/2009 (Estatuto de Museus) relacionadas à criação de museus. Esta experiência resultou na inventariação de todos os objetos do museu, sua catalogação, marcação e numeração, bem como a criação de fichas individuais de catalogação para cada objeto, bem como uma cartilha com orientações para a documentação nos museus locais de pequeno porte. Este trabalho, permite, que outro mestrando prossiga com o trabalho, elaborando a documentação e sensibilização necessárias à criação efetiva do museu e o cadastrando no Ibram, para que usufrua de direitos, reconhecimento como museu.

·     Programação de Exposições e Formação de Públicos - pesquisa de natureza ação, interventiva, materializada em exposição coletiva e colaborativa com 10 artistas brasileiros com temática associada à paisagem cultural da Carnaúba, palmácea, árvore repleta de símbolos, sentidos e significados para a memória individual e coletiva das populações que habitam o vasto território do Estado do Piauí. A Carnaúba foi referências em diferentes ciclos econômicos, histórico, social e cultural do território, usada ao longo do tempo desde matéria-prima para artefatos domésticos, produtos artesanais a chips de computadores. O planejamento e a programação de exposições se constituem como ações educativas e socioculturais indispensáveis no território de atuação do Mestrado Profissional, região carente de agenda e equipamentos cultuais, capazes de mobilizar comunidades, formar públicos e fortalecer identidades. Trabalhos desta natureza atravessam o conceito do Mestrado por suscitarem diálogos e trocas de experiências e vivências, permitem acesso a conhecimentos, aprendizagens, deleite, lazer e trocas de saber-fazer. Fortalecem a proposta do Programa, oferecem visibilidade ao patrimônio cultural do Piauí, do Meio Norte do Brasil, da APA Delta do Parnaíba, compreendendo os patrimônios de forma integrada e integradora no território, dotado de valor e geração de emprego e renda, capaz, sobretudo, de gerar autoconhecimento e autoestima. O Programa com estudos e intervenções desta natureza permite o exercício colaborativo e participativo entre o autor/mestrando/profissional/curador com 10 artistas e com vários profissionais, a considerar o trabalho multidisciplinar e multiprofissional das exposições. A exposição foi realizada como parte das atividades da Feira do Patrimônio (2017), que incluiu em sua programação a 15ª Semana Nacional de Museus. Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus (com chancela do ICOM e do Ibram) e o Congresso Internacional em Artes, Patrimônio e Museologia. A exposição foi apresentada aos públicos no Centro Cultural Caixeiral, localizado no Centro Histórico de Parnaíba, sob a gestão do SESC, um dos financiadores dessas ações.

·     Conservação Preventiva de Bens Culturais Móveis – Este é um campo de estudos e formação profissional dos mais carentes no Brasil e particularmente no Piauí. As histórias e memórias dos profissionais que fundaram e trabalham há 30 anos (1987-2017) na única Oficina de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis do Estado (OR) foi objeto de pesquisas e intervenções. Foram realizados estudos, ações, produtos e serviços: um livro e documentário com uma versão da história da oficina; um projeto de criação e instalação de uma Oficina de Conservação do Patrimônio Cultural Móvel, na Universidade Federal do Piauí, foram realizadas atividades teórico-práticas, cursos de capacitação em conservação e restauro ao longo de 2016 em Teresina e Parnaíba, com os servidores do Estado e comunidade em geral. O Programa em parceria UFPI | SESC e IFPI mantém a capacitação em conservação e restauro em Parnaíba e Luís Correia, que contribuiu para a sensibilização e atribuição de sentidos e significados à formação de seniores e novos profissionais, logo ações sistemáticas e continuadas neste campo. Como experiência significativa, destacamos a realização de estágios profissionais de discentes em Centros de Investigação e Laboratórios de Referência em Conservação e Restauro: Centro de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis - CECOR, Minas Gerais, Brasil; Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa; Instituto José de Figueiredo – IJF e na Oficina de Restauro do Museu de Setúbal em Portugal.

·     Inventários do Patrimônio Imaterial e museologia comunitária e de inovação social. Observação participante do ofício e modos de fazer associados à tecelagem manual da rede de dormir e dos trançados em fibras vegetais, com ênfase na carnaúba. 

 

Desses trabalhos de pesquisa já foram construídos vários produtos e realizados muitos serviços: inventários participativos (IP), glossário especializado das expressões orais e mapas culturais, planos de salvaguarda, design de moda e de produtos com foco nas economias criativas, comércio justo, que permitiram a criação de coleções e de um museu de comunidade. Desde 2018, em funcionamento no museu da vila, o ateliê escola do museu da vila.

 

Pela natureza do Mestrado Profissional, demostramos que a concepção, desenvolvimento e apresentação do Trabalho Final se materializa em produtos e serviços, resultados de diagnósticos realizados nos territórios de intervenção a partir de problemas identificados e por solucionar. Dentre esses TFM, destacamos também o Projeto Arquitetônico de um dos Núcleos do Ecomuseu Delta do Parnaíba, o Museu Tartarugas do Delta.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb07.ufpi.br.instancia1 06/12/2019 23:17