X Turismo e Empreendedorismo

O processo de Educação Patrimonial para a conscientização e sensibilização do público para os bens de consumo produzidos na região se fortalece na medida em que é articulado as ações entre agentes responsáveis pelos patrimônios e o turismo local. 

 

 

Esta iniciativa estava inclusa, inicialmente, na 16ª Semana Nacional de Museus, nomeadamente nas comemorações ao Dia Internacional de Museus, a realizar-se em todo o mundo em 18 de maio, por iniciativa do ICOM, Conselho Internacional de Museus, órgão vinculado à Unesco, do qual o Brasil faz parte como estado membro, promovido no Brasil pelo IBRAM, Instituto Brasileiro de Museus.

 

A Feira do Patrimônio é uma ação educativa, cultural e econômica de natureza colaborativa entre o “Mestrado Profissional em Artes, Patrimônio e Museologia”, da Universidade Federal do Piauí (UFPI - Parnaíba), as Prefeituras da Região, Associações, ONGs e demais agentes públicas e privadas. 

 

PatrimonioDoc - trata-se de uma Mostra de Audiovisual, cujo objetivo é dar a conhecer, reconhecer, preservar, promover e agregar valor ao patrimônio e paisagem cultural com um olhar crítico, sensível e dialógico com a participação de diversos públicos.

 

A 1ª edição ocorreu nos dias 20 e 21 de outubro de 2018, no Museu da Vila, no Bairro Coqueiro da Praia, Luís Correia, Piauí, Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba, como parte das atividades socioeducativas e culturais da 3ª edição Feira do Patrimônio, premiada em 2018, na Universidade Federal do Piauí como a melhor iniciativa no Brasil em educação e interpretação patrimonial. 

 

Ateliê escola no museu da vila | o conceito do ateliê está associado diretamente às relações ricas e complexas entre design, artesanato e patrimônio cultural de natureza imaterial. O trabalho é na vila-bairro em Luís Correia, nomeadamente, no Bairro Coqueiro da Praia e entorno, região parte da APA Delta do Parnaíba, que abriga modos de saber-fazer ancestrais, transmitidos de geração em geração, em um território cuja marca de identidade são as artes de pesca e o artesanato cuja matéria-prima são a taboa, a carnaúba, o barro, a linha etc. Historicamente os homens exercem o ofício da pesca artesanal e as mulheres do artesanato. Nos últimos 30 anos as artes de pesca e o artesanato revelam-se como patrimônio em risco, os barcos começam a desaparecer das margens da praia do Coqueiro e o artesanato local praticamente não existe mais, sendo possível encontrar poucas senhoras, com idade bem avançada (60 a 80 anos), no referido Bairro, a manterem os modos de saber-fazer dos trançados. Há uma quantidade significativa de população entre 18 a 30 anos sem emprego ou subempregada, portanto, uma população vulnerável, que necessita de emprego e renda, solução que pode estar na museologia e inovação social, no empreendedorismo, conhecimento e reconhecimento do valor do patrimônio cultural e natural como elemento econômico e sustentável. O que estamos a criar no museu da vila - no ateliê de moda e design são produtos e serviços que permitem o conhecer, sensibilizar, promover, divulgar a rica e complexa paisagem cultural do território, um ateliê e uma loja no museu da vila | sede do Mestrado, e parceria com a Associação de Moradores do Bairro, para fabricar e comercializar um conjunto de produtos e serviços vinculados à identidade cultural das artes de pesca. O trabalho inicial é com o artesanato, a considerar a existência de modos de saber-fazer ancestrais como o trançado da palha de carnaúba e taboa, bordado, crochê, renda de bilro etc. Criamos um espaço de aprendizagem e empreendedorismo. Há artesãos e artesãs no Bairro e região de entorno, que nos permitem pensar em uma rede de colaboradores, pessoas simples, que, por meio de um trabalho dessa natureza podem encontrar outras gerações e transformar suas vidas. 

 

Outra atividade emblemática foi no campo da arte contemporânea e patrimônio cultural, trata-se de RUA | Residência Artística Artérias Urbana, um dispositivo criado cem um ambiente de contaminação criativa por meio da arte contemporânea entre organismos vivos com sensibilidade cultural que se inter-relacionam com a cidade de Parnaíba localizada no norte do Estado do Piauí, Nordeste do Brasil. Na residência, propomos experimentar diferentes significados dos conceitos de memória, patrimônio cultural, museologia, território, identidade e estética relacional no centro histórico da cidade, historicamente reverenciada por seu caráter cosmopolita, por guardar em sua essência diálogos com outros lugares, por representar nas memórias de seus residentes um comércio efervescente no século XIX e primeira metade do século XX entre a Europa e o Norte do Brasil. Para urbe e seus habitantes são mais de 300 anos de vivências e transformações, marcadas uma paisagem cultural, com um conjunto arquitetônico emblemático para a história do Brasil, desde 1996, a cidade integra a Área de Proteção  Ambiental – APA Delta do Parnaíba, e desde 2008, Conjunto Histórico e Paisagístico do Brasil. Parnaíba está estrategicamente situada em uma das regiões mais belas do país, em pleno Delta do Parnaíba, o único a desaguar em mar aberto das Américas. Foi nessa cidade e contexto que construímos coletivamente a “RUA”, em um espaço urbano, plataforma privilegiada para articulações e ativismos.

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação - STI/UFPI - (86) 3215-1124 | © UFRN | sigjb04.ufpi.br.instancia1 13/12/2019 04:38